Risco de atentato: muito alto!

Nota

terrorismoTenho dito isso há anos. Espero, sinceramente, que, em termos de ações terroristas, nada ocorra durante os eventos dos próximos anos. Entretanto, qualquer um que tenha uma percepção mínima de segurança e conheça um pouco sobre terrorismo sabe que tem muitas razões para se preocupar (salvo algumas autoridades públicas, para as quais tudo segue bem, obrigado).

A matéria foi retirada da página do Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal. Há quem diga que é exagero, matéria com interesse político, ou mesmo inverdade. Bom, isso não vou discutir. Ao menos serve de alerta (alerta que já tem sido dado nos últimos meses). Eu me preocuparia…

Terroristas têm 80% de chance de entrar no Brasil com falhas em aeroportos

Fonte: IG – 24/03/2014
 

Com a chegada da Copa do Mundo, aumenta a preocupação com a segurança nos aeroportos do país. Entretanto, para o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindpol-DF), Flavio Werneck, hoje o Brasil não tem uma segurança aeroportuária adequada para receber aproximadamente 600 mil turistas que são esperados durante o evento.

Nessa entrevista em vídeo ao iG, Werneck afirma que pelas condições de segurança dos aeroportos brasileiros existe “80% de chance de uma pessoa mal intencionada entrar no país (…) Entre elas, não podemos descartar a ação de terroristas”, afirma o presidente do sindicato. Continuar lendo

Are Suicide Bombers Rational Actors?

suicide bombers3According to David Rapoport, in 1979 a fourth wave of terrorism started associated to the religious extremism[1]. Amongst the characteristics of this new wave is the phenomenon of the suicide bombers, people that kill themselves in a terrorist attack. Could those men be considered rational actors or they should be seemed as crazy fanatics? Testing the assumption that terrorists are rational actors is extremely important because this perception or misperception will influence the way public authorities will establish strategies to deal with the terrorist threat, in prevention as well as reactive measures and counterterrorism.

Ehud Sprinzak presents the suicide terrorist as a new type of killing in the history of modern terrorism[2]. The use of suicide attackers, however, is not new. In the 11th century, for example, suicide terrorism was adopted as a strategy to advance the cause of Islam by the sect of the Assassins[3]. According to a Congressional Research Center’s Report on terrorists and suicide attacks, “[m]embers of premodern groups without access to dynamite did not have the immediacy and certainty of their own demise that is currently the case, nor could they expect the publicity for their attacks that is seen today; but they did engage in deliberate, calculated self-sacrifice in the act of killing civilian targets for symbolic effect”[4]. Despite the apparently association with religious-based practice, suicide attackers have been used by both secular and religious groups[5].

Apparently, practice of suicide by terrorists looks like something against rationality. After all, “(…) terrorists, though ready to risk their lives, wished to live after the terrorist act in order to benefit from its accomplishments”[6]. But it doesn’t happen with suicide bombers because they deliberately and voluntarily give their lives for the cause. And they do that following a specific rationale not so different of that followed by the formers to preserve their lives.

suicide bombers1How could one stand that somebody committing so atrocious acts of pure violence would be considered sane? Suicide attacks are particularly difficult to be understood by the common man. When one read on the headlines that a terrorist has entered in a train or a bus and exploded it remaining there, the immediate inference is that this man or woman must be crazy! So, this assumption is part of a common sense in many societies that is reiterated many times by the media[7].

Thus, due to its horrifying nature, terrorism is usually assumed as a practice of irrational and crazy people. Terrorists, however, including the suicide bombers, cannot be put at the same level of insanity of serial killers, mass murderers or school shooters. The former are politically motivated, the later not. Terrorists promote acts of brutality with a rational objective goal: take the attention or influence an audience, a government or decision makers. Their actions are planned, prepared, calculated, coordinated and controlled. There is a rationale that explains how suicide attackers have been used by both secular and religious groups.

Sprinzak explains the rationale of the suicide terrorists. According to him, “whereas the press lost no time in labeling these bombers irrational zealots, terrorism specialists offered a more nuanced appraisal, arguing that suicide terrorism has inherent tactical advantages over ‘conventional’ terrorism”. These advantages are clear: “It is a simple and low-cost operation (requiring no escape routes or complicated rescue operations); it guarantees mass casualties and extensive damage (since the suicide bomber can choose the exact time, location, and circumstances of the attack); there is no fear that interrogated terrorists will surrender important information (because their deaths are certain); and it has an immense impact on the public and the media (due to the overwhelming sense of helplessness)”[8].

Islamic+Jihad+Suicide+BombersIn the case of religious extremism, some important aspect shall be added: the role of the martyr. The suicide martyr cannot be associated to insanity, but to a rationale based on faith. When a terrorist perpetrates a suicide attack he or her is aware that: 1) there is a goal to be achieved; 2) his action will contribute to the achievement of that goal; 3) he or she will became a martyr, what is an important aspect of his or her faith or convictions[9]. Additionally, in some cases, the suicide bomber knows that his sponsors will take care of his family as retribution for his or her sacrifice – there is also economic calculation and rationality on that.

In sum, the hypothesis that terrorists are people with mental illness does not seem plausible. Obviously, one can find crazy people amongst terrorists, as everywhere. However, in general there is a rational behavior in their actions. Even the suicide bombers follow a rationale related to the achievement of, for example, political goals. As professor Edwin Bakker said, “they don’t kill because they are crazy, they kill to achieve something”[10]. Due to these reasons, one must consider the assumption that terrorists are rational actors is true. 

Piada Pronta

2014-686855514-20140208171901014rts.jpg_20140208Sabe aquela anedota sobre o curso de homem-bomba, quando na aula final o instrutor diz “Prestem atenção que eu só vou mostrar uma vez como se faz!!!”? Pois é, a vida imita a arte!

A matéria comprova que a proliferação de Hommer Simpson não é um privilégio só do Ocidente. Claro que sempre se desconfia de uma operação de contraterrorismo de algum serviço de inteligência eficiente… Sem maiores comentários…

Treinador de homens-bomba explode turma por engano

Homem dava aula para aspirantes a ataques suicida quando detonou explosivos presos ao corpo matando 22 e ferindo 15

DO NEW YORK TIMES

BAGDÁ – Um grupo de extremistas sunitas que assistiam a uma aula de treinamento para atentados suicidas em um acampamento ao norte de Bagdá foi morto na segunda-feira quando seu comandante involuntariamente realizou uma demonstração com um cinto que estava cheio de explosivos, contaram funcionários do Exército e da polícia iraquiana.

Os combatentes pertenciam a um grupo conhecido como o Estado Islâmico do Iraque e da Síria, ou Isis, que luta na província de Anbar contra o Exército iraquiano, dominado por xiitas. Mas eles também estão ligados a ataques a bomba em outros lugares. Continuar lendo

Salva de Kalashnikov

24Kalashnikov-popupInformo que faleceu hoje, 23DEZ13, Mikhail Kalashinikov, o inventor da arma mais conhecida do século XX, o AK-47, mesmo só tendo sido inventado após as duas guerras mundiais. Tido como arma simples, versátil, resistente e, praticamente, infalível, o AK-47 foi utilizado pelos mais distintos exércitos por todo o globo. também era arma favorita de milícias, grupos insurgentes, guerrilheiros e terroristas – sempre vem à mente a imagem de Bin Laden com um. Exatamente por isso, foram produzidos e vendidos milhões de AK-47. Não seria temerário dizer que o fuzil foi usado em praticamente todas as guerras desde sua criação…

601641_672457459444153_242481829_n

December 23, 2013, New York times
 

Mikhail Kalashnikov, Creator of AK-47, Dies at 94

By 

Lt. Gen. Mikhail T. Kalashnikov, the arms designer credited by the Soviet Union with creating the AK-47, the first in a series of rifles and machine guns that would indelibly associate his name with modern war and become the most abundant firearms ever made, died on Monday in Izhevsk, the capital of the Udmurtia republic, where he lived. He was 94. Continuar lendo

Senado dos EUA é fechado

Por motivo de segurança, fecharam o Senado dos EUA devido aos ataques da manhã de hoje. O mais surreal é que a Câmara continua em funcionamento…

size_590_capitolio-eua

Exame.com 16/09/2013 16:54

Senado nos EUA é fechado por segurança; busca continua

O senador Harry Reid, líder da maioria democrata, já havia adiado para amanhã as votações originalmente previstas para a noite de hoje.

O Senado dos Estados Unidos fechou as portas na tarde de hoje por motivos de segurança relacionados ao ataque a uma base da Marinha em Washington. Continuar lendo

Atentado em Boston

Acabou de acontecer um atentado em Boston. O terrorismo volta aos EUA. Detalhe: evento esportivo de repercussão internacional.

16boston-articleLarge

Boston Marathon Blasts Kill 2, Police Say

NY Times, April 15, 2013,  By  and 

BOSTON — A series of explosions was reported near the finish line at the Boston Marathon on Monday, leaving two people dead and at least two dozen injured, according to the Boston Police Department. Continuar lendo

A Célula Terrorista

Para sair um pouco do tema Coréia do Norte, segue interessante análise de meu amigo Marcus Reis sobre a célula terrorista. O blog de Marcus pode ser acessado diretamente a partir de Frumentarius, e traz sempre contribuições valiosas nas áreas de segurança e estudos de terrorismo. Recomendo leitura.

A Célula Terrorista

Por mvreis

terrorist cell

Existem dois modelos básicos de estruturação das organizações terroristas. De acordo com as necessidades e objetivos da organização, ela poderá optar por um modelo mais centralizado, hierárquico; mas, se o objetivo for uma atuação mais ampla, não somente local, descentralizada, escondida, provavelmente irá optar pelo modelo em rede (network). Continuar lendo

Mais sobre o etarra capturado no Rio…

Agora a fonte é o El País, da Espanha, já que foi feita a observação – tremendamente pertinente, por sinal – de que a imprensa por aqui não transmite corretamente a informação. De fato, Vizán ainda não foi condenado pela Justiça espanhola. Entretanto, há uma ordem de prisão contra ele. Ademais, participa(va) de um comando armado do ETA e teria executado atos terroristas, inclusive contra agentes do Estado espanhóis. Estava foragido e escondia-se no Brasil. Deve, portanto, ser levado perante a Corte espanhola para responder por seus atos.

Não existe justificativa para terrorismo, tampouco para o recurso a meios ilegais e ilegítimos (uso da violência e da luta armada, por exemplo) para derrubar um regime ou lutar contra um governo democrático, como é o caso do Reino da Espanha.

Detenido en Río de Janeiro un etarra huido desde 1991

Joseba Gozton Vizán supuestamente colaboró en la dirección de la banda 

Joseba Gotzon Vizan González (d) es escoltado por un miembro de la Policía Federal hoy. /ANTONIO LACERDA (EFE)

El presunto etarra Joseba Gozton Vizán González, Pocholín, ha sido detenido a las 12.30 de la mañana de hoy, viernes, en Río de Janeiro (Brasil) por la policía brasileña gracias a las investigaciones realizadas por la Comisaría General de Información española. Se trata de la tercera detención en lo que llevamos de año y la número 36 desde el inicio de la presente Legislatura.

Nacido en Basauri (Vizcaya) el 7 de mayo de 1959, estaba reclamado por la Audiencia Nacional por los delitos de atentado, asesinato, pertenencia y colaboración con banda armada, según fuentes policiales. Tras huir de España en 1991 por la desarticulación del comando Vizcaya, se escondió en Francia y supuestamente colaboró con la dirección de ETA. Hace unos años se le perdió la pista y se ocultó en América. Pasó varios años en Brasil con documentación falsa facilitada por la organización terrorista. Continuar lendo

O caso do terrorista do ETA capturado no Brasil

terrorista ETA brasilInteressante… Não tinham dito que não havia terrorista no Brasil? Pois é, quero ver como ficam aqueles que têm negado a presença de membros de organizações terroristas no País. Algumas observações a respeito:

1) Ao contrário do que noticiaram alguns meios, o sujeito não é “acusado” de terrorismo. Ele é terrorista, com todas as letras, autor de atos de terror e condenado por terrorismo!

2) Estava vivendo tranqüilamente no Brasil desde 1996…

3) Ingenuidade pensar que ele seja o único por essas terras… Se bem que, aqui em Pindorama, costuma-se acolher esse tipo de criminoso, sobretudo se for amigo de gente influente, não é, signori Battisti?!?

4) Claro que isso não deve ser motivo de qualquer preocupação diante dos grandes eventos que sediaremos em um futuro próximo… ao menos é que seguem afirmando alguns “especialistas”…

Só sei de uma coisa: D’us nos ajude!

PS: Um abraço aos amigos do DPF e parabéns pela captura do criminoso! Abraço a meu caríssimo Valmir Lemos de Oliveira!

G1.globo.com – 18/01/2013

Terrorista espanhol preso no Rio era professor de idiomas na Zona Sul

Crime de Joseba Gotzon González iria prescrever em 1 semana, diz PF. Foragido era ligado ao ETA e usava nome de outro espanhol no país.

 Tássia ThumDo G1 Rio

A uma semana de prescrever o crime, o terrorista do grupo basco separatista ETA Joseba Gotzon Vizan González foi preso nesta sexta-feira (18), próximo à casa onde vivia com a mulher e o filho, na Glória, Zona Sul do Rio de Janeiro. Ele trabalhava como professor de espanhol e tradutor em um curso de idiomas. Continuar lendo

Afeganistão francês…

mali-terrorist_2453322bPubliquei algumas coisas aqui em Frumentarius ano passado sobre a crise no Mali. Só agora o mundo começa a prestar atenção àquele país africano, já que a República Francesa resolveu intervir… O problema é que qualquer ação militar ali não será simples e desgastará, e muito, o governo de M. Hollande (por falar nisso, o Presidente parece tão apagado nesses acontecimentos, com tudo sendo decidido pelo Premier – sim, a França tem Premier! – e pelo Gabinete! Onde está o semi-presidencialismo daquela República?)… Para piorar, o norte do Mali, onde estão os “rebeldes”, faz fronteira com o sul da Argélia. extamente onde está ocorrendo a crise dos reféns na usina…

a330lna397dpy3ynxoh1xidpeEm resumo, a situação não estará fácil para os franceses… E eles não são muito bons ao lidar com essas coisas de conflito armado… Em termos de guerras tradicionais, perderam a Franco-Prussiana, em 1871, foram salvos pelos americanos na I GM, em 1917-1918, e, na IIGM, foram invadidos pelos alemães, em 1940, e depois pelos americanos em 1944 – eles não gostam de admitir isso, claro… Já tratando de guerra assimétrica, levaram pau em todas do processo de descolonização, da Indochina (lembremos de Dien Bien Phu) à Argélia… Enfim, o cenário não é dos melhores…

Mali_bg-408x264Claro, há que se lembrar, ainda, que o território francês e suas representações diplomáticas, bem como pessoas físicas e jurídicas de nacionalidade francesa estarão mais suscetíveis de serem alvo de ações terroristas… Será que os cafés de Paris voltarão a presenciar as cenas tristes dos anos 60 e 70?

Segue artigo interessante de um professor da Paris II sobre o problema que os franceses efrentarão nos próximos meses… Não seria exagero falar em Afeganistão francês, não mesmo…

Mali_franceses

Atlantico.fr – Publié le 15 janvier 2013

Terrorisme : que risquons-nous avec l’intervention au Mali ?

Par Xavier Raufer*

Que se passe-t-il vraiment au Sahel ? Quelles  menaces pour la France ? Rappel de quelques réalités stratégiques  fondamentales.

• Y a -t-il menace  terroriste grave pour la France métropolitaine ?

Que la nébuleuse salafi-jihadie  veuille terroriser la France est assuré. Toute sa propagande, ses sites  Internet, etc. menacent d’ailleurs et vocifèrent : “La France a ouvert les  portes de l’enfer”, etc. Mais vouloir et pouvoir sont d’ordre  différent. Et si bien sûr le risque existe, rappelons quand même l’écroulement  du terrorisme dans l’Union européenne (UE) depuis 2005-2006 : 600 attentats (et  tentatives sérieuses) par an à l’époque – 170 en 2011, une centaine en 2012 – pour un continent de 500 millions d’habitants ! 24 pays sur 27 de L’UE sont hors  terrorisme, plus rien du tout, depuis 2009. Et les attentats jihadi, là  dedans ? 1 en 2009 (pour toute l’Europe), 3 en 2010 – et 0, rien du tout, en  2011. . Continuar lendo

Natal à moda russa…

_44338948_frost_afp_416Muito bem! Direto das terras eslavas, notícia sobre como as forças de segurança russas estão celebrando o Natal Ortodoxo! Fizeram bem. Gosto dessa maneira russa de lidar com ameaças à segurança da sociedade. Não gosto de terroristas. Gosto de Putin, Putin é KGB…

Russia kills militants suspected of Christmas attack plan

Reuters. 06JAN2013 – 5:28pm EST

MOSCOW (Reuters) – Russian security forces in a restive North Caucasus province on Sunday killed three militants suspected of planning attacks on church services during the Russian Orthodox Christmas holiday, authorities said.

Security forces tried to stop a van in the Kabardino-Balkaria province on Sunday but its occupants opened fire and were killed in the ensuing battle, during which the vehicle caught fire, the National Anti-Terrorism Committee said in a statement.
Continuar lendo

Israel sob ataque

Incomoda como a maioria absoluta dos formadores de opinião aqui em Pindorama toma partido automaticamente da causa palestina. Israel é alvejado diariamente por foguetes, sofre ataques contra seu território e sua população e só o que aparece é a grita geral pelos direitos dos palestinos. Alto lá!

Não estou tomando partido dos israelenses, mas convém que haja uma análise menos ideológica e parcial dessa situação. São décadas de insurgência, ataques terroristas e mesmo guerras convencionais envolvendo árabes (aí incluídos os palestinos) e israelenses. Circulam pelo mundo imagens de árabes sangrando ou mortos, mas muito pouco se fala dos civis israelenses vítimas dos foguetes palestinos, do estado de tensão nas cidades, da quebra da paz em Jerusalém. Alguém considerou o fato de que o país (Israel) está sendo atacado?

Há alternativa a Tel Aviv além de entrar logo em Gaza e por fim à ameaça? Não me venham com essa de que é Davi contra Golias… Desde a independência, Israel teve que se tornar forte, senão seria trucidado pelos vizinhos. E lembro que os primeiros ataques, no dia seguinte à criação do Estado, em 1948, foram externos (dos vizinhos) e internos  (com o levante palestino). Os israelenses não devem responder à agressão, então, só porque seriam “mais fortes” que aqueles que os atacam? Ou a resposta deveria ser “moderada” (isso é possível?)? E o Hamas, está disposto a negociar a paz?

O jogo ali se mostra bem mais complexo do que análises simplistas tentam explicar. É muito fácil condenar Israel a partir do ar condicionado de um escritório ou de um estúdio… Difícil é estar recebendo bomba na cabeça e ter que aguentar críticas para que não se revide…

LIVE BLOG: At least 15 rocket fired at Ashdod in less than 5 minutes

Rocket scored direct hit on Be’er Sheva home; three wounded in attacks on south; Iron Dome intercepts rocket over Tel Aviv, car catches fire from shrapnel; Lieberman: Cease-fire is contingent upon total cessation of fire by all terrorist groups.

^Haaretz.com – By ,     Gili Cohen and         |      Nov.18, 2012 | 12:37 AM |  

Israel was bombarded by a barrage of rockets on Sunday, as Operation Pillar of Defense entered its fifth day.

Prime Minister Benjamin Netanyahu told ministers at the weekly cabinet meeting in Jerusalem that Israel was prepared to significantly expand its operation in the Gaza Strip. Continuar lendo

PCC e terrorismo

Segue artigo muito interessante sobre o PCC. O autor é meu amigo Marcus Reis, e recomendo seu blog: www.marcusreis.com.  Certamente, aquela ainda não é uma organização terrorista. Entretanto, vem usando métodos de terror para influenciar as autoridades públicas e amendrontar a população. Se nada for feito, logo será muito difícil lidar com esses criminosos.

Em breve publicarei aqui algumas considerações pessoais sobre essa organização criminosas e o fenômeno do retorno do terrorismo ao território brasileiro…

13/11/2012

O PCC ainda não é uma Organização Terrorista

Por mvreis

As ações de terror do Primeiro Comando da Capital (PCC) que seguem neste ano de 2012 (mais de 90 policiais de São Paulo mortos) são movimentos táticos dentro de uma estratégia econômica e não política. Não se tratam de ações políticas com o objetivo de pressionar o Estado brasileiro a cumprir a legislação de execução penal e a carta de direitos fundamentais de nossa Constituição. Visam objetivos econômicos, quais sejam, permitir que o comando dessa organização continue controlando os negócios ilegais, bem como abrandar as ações de repressão criminal contra essa organização. Continuar lendo

Lançamento do Orvil em Brasília: 25/10, às 19h, na Associação dos Ex-Combatentes, em Brasília.

Divulgo, pois é uma obra que deve ser conhecida de todos os brasileiros, sobretudo dos que querem compreender melhor um período ainda muito obscuro de nossa história e cujas referências são sempre marcadas pela influência ideológica esquerdista…

A meus amigos de esquerda (sim, tenho muitos amigos de esquerda), antes de arrancarem os cabelos e me atacarem, recomendo que leiam o Orvil, ao menos para conhecerem a outra versão de fatos sobre os quais se comenta até hoje de maneira muitas vezes bastante parcial…

Aos Prezados Senhores (as) Membros e Simpatizantes do Ternuma.

 Em colaboração com os organizadores, convidamos para o lançamento do Livro ORVIL, no próximo dia 25 de outubro de 2012, às 1900 horas, na sede da Associação dos ex – Combatentes do Brasil.

O livro foi escrito por pesquisadores militares, até então difundido apenas pela Internet, agora definitivamente publicado, levanta com riqueza de detalhes as quatro tentativas de tomada do poder pelos comunistas, para implantar no Brasil um governo totalitário. Continuar lendo

Bengazi: um ataque terrorista?

Ainda tentando ler nas entrelinhas da declaração do DNI… De toda maneira, se as ações em Bengazi e no Cairo tiveram alguma participação da Al Qaeda, ficam evidentes as dificuldades que os ocidentais terão com os novos regimes. Ao menos Kadafi e Mubarack eram conhecidos inimigos da Al Qaeda… Será que ninguém vê que a situação na Síria pode ser ainda pior com a queda de Assad?

U.S. intelligence now says Benghazi attack “deliberate and organized”

Reuters, 28SEP2012 6:25pm EDT – By Mark Hosenball

WASHINGTON (Reuters) – The top U.S. intelligence authority issued an unusual public statement on Friday declaring it now believed the September 11 attack on U.S. diplomatic facilities in Benghazi, Libya, was a “deliberate and organized terrorist attack.”

The statement by the office of Director of National Intelligence James Clapper acknowledged that it represented a change in the U.S. intelligence assessment of how and why the attack happened. During the attack on two U.S. government compounds in the eastern Libyan city, four U.S. personnel, including Ambassador Christopher Stevens, were killed. Continuar lendo

“Comissão da Verd-” e crimes da esquerda

A notícia é da semana passada, mas eu tinha que comentá-la aqui. Agora a “comissão da verd-” deixa claro para o que veio. Fiquei surpreso com a decisão (ou ao menos com a descalabro das declarações de pessoas que deveriam ser, antes de tudo, isentas). Muito bem! Então só os “crimes dos agentes do Estado” devem ser “investigados!”. Vergonhoso… e põe abaixo qualquer expectativa de seriedade e imparcialidade nos trabalhos dessa comissão. Ah, sim! Esqueci que os opositores do regime militar não cometeram nenhum crime e que ninguém foi vítima do terrorismo de esquerda aqui no Brasil… Perdemos mais uma oportunidade histórica.

Comissão da Verdade não investigará crimes de militantes de esquerda

Somente condutas atribuídas a agentes públicos ou a serviço do Estado serão examinadas

Evandro Éboli, 17/09/2012

BRASÍLIA – Em resolução unânime publicada no Diário Oficial desta segunda-feira, integrantes da Comissão da Verdade oficializaram a decisão de que serão investigadas as violações de direitos humanos – como tortura, desaparecimento e mortes – praticadas pelos agentes de Estado. Estão excluídos atentados ou supostas mortes de responsabilidade de opositores do regime militar. Continuar lendo

O Levante e o pós-11/09

Há algum tempo não postava os artigos de Lukyanov, sempre muito interessantes. Gostei da observação referente à pouca atenção dada pelos candidatos à Presidência dos EUA ao problema do terrorismo. De toda maneira, com a crise no mundo islâmico se agravando, Obama e Romney acabam tendo que se manifestar… e algumas vezes não o fazem tão bem.

Recomendo a leitura a meus alunos de Relações Internacionais, pois se trata de análise diferente daquelas com que nos deparamos aqui em Pindorama.

Uncertain World: How the Arab Spring Muddied Post-9/11 Clarity

17:00 13/09/2012

Last Tuesday, September 11, while the United States was commemorating the victims of the 9/11 terrorist attacks, anti-American demonstrations erupted at U.S. consulates in Libya and Egypt.

The demonstration in Benghazi, the home base for the Libyan rebels who came to power thanks to military intervention by the United States and NATO, led to clashes that killed several American diplomats, including the U.S. ambassador to Libya.

In an interview with Al Jazeera a few days earlier, Mohammed al Zawahiri, the brother of al Qaeda leader Ayman al Zawahiri, offered to broker a 10-year peace deal between al Qaeda and the West. The U.S. is to abstain from interfering in the affairs of Islamic countries, in return for which the “legitimate rights” of America and the West will be protected and they will stop being provoked.

Mohammed al Zawahiri, who was acquitted by an Egyptian military court in March this year after spending 14 years in Egyptian prisons on extremism charges, is just one beneficiary of the Arab Spring. Many other opponents of the regime have been set free since the fall of the Mubarak regime. Continuar lendo

In Memorian

Gostaria de registrar aqui minhas condolências às famílias do Embaixador John Cristopher Stevens e dos funcionários diplomáticos estadunidenses brutalmente assassinados na Líbia no dia 11 de setembro último.

Esta é ainda uma semana para se lembrar das milhares de vítimas dos atentados de 11/09/2001 e de todos os que morreram ou têm sofrido em consequência daqueles fatídicos acontecimentos, seja no Ocidente, seja no Mundo Islâmico, seja em qualquer outra parte do globo.

Só não lamento a morte de Bin Laden e de toda a corja de terroristas que se conseguiu enviar desta para uma melhor… Nada, absolutamente nada justifica o recurso ao terrorismo.

Inverno de ódio

Ainda como consequência do que se cunhou chamar de Primavera Árabe, e que eu prefiro chamar de “o Levante”, aumentou significativamente a instabilidade no Norte da África e no Oriente Médio nos últimos dias. Pessoas na rua protestando, atacando missões diplomáticas e consulados, gritando palavras de ordem contra Israel e Estados Unidos, queimando bandeiras… Enfim, a efetivação do que para alguns a “consolidação da democracia no mundo árabe/muçulmano”…

Realmente, os ventos democráticos da bela Primavera Árabe, cantada em verso e prosa em diversas partes do globo (sobretudo aqui no Ocidente), sopram com intensidade nas terras do Islã. Na Líbia, quase um ano após a deposição e execução de Muamar Kadafi, permanece o clima de insegurança, associado à disputa pelo poder em um país arrasado pela guerra civil. O fortalecimento do fundamentalismo religioso e de grupos antiocidentais culminou no ataque ao consulado dos Estados Unidos em Benghazi e no assassinato, por extremistas, do Embaixador estadunidense, Christopher Stevens, e de outros três funcionários diplomáticos, além de mais de uma dezena de feridos. Desde 1979 um plenipotenciário norte-americano não havia sido morto em serviço. O trágico evento afeta diretamente as relações entre a Líbia e os Estados Unidos, e pode mesmo influenciar a disputa eleitoral pela Casa Branca. A oposição já cobra medidas mais enérgicas de Barack Obama, que se vê em situação extremamente delicada na reta final da campanha…

Os acontecimentos na Líbia estão relacionados à onda de protestos no mundo árabe em decorrência de um vídeo produzido nos Estados Unidos e ofensivo ao Profeta Maomé. Trata-se de um vídeo de extremo, extremíssimo péssimo gosto, feito, de acordo com as autoridades americanas, por um estelionatário que ganhou notoriedade da noite para o dia com ofensas gratuitas à segunda maior religião do globo. Note-se que foi um ato isolado de um criminoso, nada tendo a ver com o governo dos Estados Unidos.

Em que pese o deplorável vídeo, não me venham com argumentos de que se tem aí uma justificativa para todos esses protestos e explosões de violência no mundo islâmico. Não, não se justificam. Se um cristão resolvesse atacar cada pascácio que fizesse uma piada deplorável contra o cristianismo, ou um judeu resolvesse agredir todo mentecapto que viesse com comentários preconceituosos e ofensivos ao judaísmo, o mundo já teria implodido… Nesse caso, intolerância não pode ser motivo para mais intolerância.

Mas, no Islã, diriam alguns, a coisa parece ser diferente… Manifestações contra representações diplomáticas estadunidenses ocorreram também em outros países de maioria muçulmana, entre os quais Bangladesh, Egito, Tunísia, Marrocos, Iêmen, Iraque e Irã, Sudão e até em Israel (sim, é assim que acontece numa democracia), porém nenhuma tão grave quanto a de Benghazi. O que se evidencia disso tudo é muito mais um pretexto que se encontrou no tal vídeo para uma explosão de descontentamento da parte de milhares de pessoas que vivem em péssimas condições. Sob a camada do protesto de motivação religiosa, estão sentimentos de revolta contra a ordem ali estabelecida e contra tudo que represente aquilo que a maior parte realmente almeja: paz, segurança para tocar a vida e, naturalmente, os benefícios do desenvolvimento. Isso é humano: ao não terem a vida que desejam (e, indiscutivelmente, os padrões econômicos e sociais da América do Norte e da Europa Ocidental são ansiados em todo o mundo), as pessoas acabam se revoltando e buscando bodes expiatórios (algo com a raposa e as uvas). Bom, mas não vou discutir psicologia de massa aqui…

Registro meu repúdio a essas manifestações. Absurdo total a agressão a representações de um país por ações de particulares… O que tem o governo dos EUA (ou da Grã-Bretanha ou o da Alemanha, que acabou de ter sua embaixada atacada no Egito) com um vídeo produzido por um pacóvio? Se assim o fosse, nós ocidentais deveríamos partir para cima de toda nação em que cidadãos se manifestassem contra o Ocidente. Sinceramente, não tenho paciência para esse tipo de coisa…

Voltando à política internacional, esses eventos podem repercutir em uma mudança de percepção dos Estados Unidos (ou da opinião pública e, consequentemente do eleitorado estadunidense) com relação à chamada Primavera Árabe. Note-se que, por exemplo, na Líbia, Egito e Tunísia, regimes seculares foram substituídos por governos sob influência fundamentalista (em alguns casos até com extremistas religiosos em sua composição) e com severas críticas a países ocidentais.

O que mudou no Egito, depois da queda de Mubarack? O país continua em crise, os militares no poder, a população protestando… Ah, sim! Mudou alguma coisa: os egípcios caminham para um governo mais extremista e hostil aos EUA e aos valores ocidentais (bom, né?). Minha viagem do próximo ano para conhecer aquele belo país do Norte da África acabou prejudicada, assim como a principal fonte de recursos do Egito, o turismo. Enfim, salvo por alguns poucos que assumiram o poder no lugar do sucessor Sadat, a tal da “democracia” conquistada na “Primavera Árabe” não beneficiou muita gente, permanecendo a maior parte da população na mesma penúria.

Também como consequência do Levante iniciado no ano passado, a guerra civil prossegue na Síria. Apesar de pressão da comunidade internacional, o regime de Damasco ainda se sustenta, particularmente devido ao apoio de russos e chineses. Como venho insistindo desde sempre, enquanto tiver as graças do Kremlin, o atual regime sírio se sustenta. E, tomando o exemplo do que já aconteceu em outros lugares, será que se teria uma Síria mais estável sem Assad? Não me parece… A queda do atual Presidente sírio só provocaria mais crise e instabilidade, e isso em uma área muito mais estratégica e sensível que o Norte da África.

Chegando ao Golfo, as relações entre potências ocidentais e o Irã têm-se agravado. Recentemente, o Canadá rompeu relações diplomáticas com Teerã (vide posts anteriores). Em nota oficial, Ottawa assinalou que o governo iraniano é “atualmente, a mais significativa ameaça à paz global à segurança no mundo”. A resposta de Teerã foi no sentido de que o Canadá tem tomado numerosas medidas para hostilizar o país dos aiatolás, acusando-se o governo canadense de “racista” e de “seguir a política sionista do Reino Unido”. Coisa boa não sairá daí…

Todos esses eventos assinalam um aumento da insegurança global. Merece atenção um possível aumento de ações terroristas contra alvos ocidentais, paralelamente ao endurecimento nas relações entre potências ocidentais e países islâmicos. A situação conflituosa pode alcançar diferentes partes do globo, inclusive regiões sem envolvimento direto com a crise, como a América Latina. É recomendável que as autoridades brasileiras estejam atentas a esses desdobramentos.

Em tempo: sei que é verão no Hemisfério Norte. Entretanto, assim como aconteceu com a primavera da democracia, o inverno do ódio infelizmente se prolonga no mundo islâmico…

 

Um terrorista a menos… Ótimo, mas é só isso.

Lendo essa matéria no Haartez fiquei um pouco confuso… Tudo bem, mataram o número 2 da Al-Qaeda e tal… Ótimo (ótimo mesmo)! É um terrorista a menos (e não tenho qualquer simpatia por terrorista, muito menos pena desses desinfelizes), o mundo agradece. Entretanto, até que ponto essa morte terá alguma efetiva repercussão nas operações da Al-Qaeda pelo mundo? Afinal, é um tipo de organização tremendamente horizontal, celular, e, nos dias de hoje, praticamente uma franquia… Sinceramente, não acredito em grandes efeitos não…

Preocupam-me, não obstante, eventuais reações da Al-Qaeda à execução de Abu Yahya… A organização pode querer responder, dar o troco… E os alvos podem estar em qualquer canto do planeta… Inclusive, lembrando da nova orientação para as células, divulgada pela inteligência dos EUA, com antentados contra alvos em regiões e países “com baixa segurança e alta visibilidade”… Alguém lembra de um lugar no mundo com “baixa segurança e alta visibilidade”? Dou uma dica: grande país da América do Sul onde se fala português…

White House: Death of al-Qaida No. 2 is ‘major blow’ to the organization

Abu Yahya al-Libi, a veteran militant said to have been a leader of the group’s operations, and who survived previous U.S. attacks, was killed in a U.S. drone strike in Pakistan early Monday.

Haartez. com – By Reuters     |      Jun.06, 2012 | 12:45 AM

The White House on Tuesday described the death of al-Qaida deputy leader Abu Yahya al-Libi as a “major blow” to the militant group and said there was no clear successor to take over his role.

Abu Yahya al-Libi, a veteran militant said to have been a leader of the group’s operations, and who survived previous U.S. attacks, was killed in a U.S. drone strike early Monday morning on a hideout in North Waziristan in Pakistan’s tribal areas, U.S. officials announced on Tuesday. Continuar lendo