Senado dos EUA é fechado

Por motivo de segurança, fecharam o Senado dos EUA devido aos ataques da manhã de hoje. O mais surreal é que a Câmara continua em funcionamento…

size_590_capitolio-eua

Exame.com 16/09/2013 16:54

Senado nos EUA é fechado por segurança; busca continua

O senador Harry Reid, líder da maioria democrata, já havia adiado para amanhã as votações originalmente previstas para a noite de hoje.

O Senado dos Estados Unidos fechou as portas na tarde de hoje por motivos de segurança relacionados ao ataque a uma base da Marinha em Washington. Continuar lendo

US$ 631 bilhões para a Defesa

PentagonoClaro que essa quantia astronômica é a do orçamento de Defesa dos EUA… O país continua sendo, de longe, o que mais aplica recursos nessa área… É o ônus de ser a potência hegemônica. Convém observar dois aspectos dessa informação. Primeiramente, a indústria de defesa estadunidense tem importância naquela economia, emprega milhares de pessoas e movimenta grandes somas de recursos… ademais, os EUA são o maior exportador mundial de armas (nada contra, só há vendas porque há quem compre – ainda que o vendedor estimule o comprador…). Entretanto, assinalo (e vejam, essa é uma percepção pessoal, não busquei dados para corroborá-la – inferência, portanto) que algo me diz que a crise pela qual passam os estadunidenses tem alguma relação com os últimos dez anos de guerra (quase doze, para ser mais preciso), desde o 11/9/2001.

Claro que a guerra está no DNA dos EUA – não houve uma geração, desde a independência, que não tenha vivido uma guerra. Não obstante, esta (Afeganistão+Iraque) é a guerra mais prolongada do século… e, por mais poderosa que seja uma nação, uma década de guerra é realmente algo tremendamente desgastante… Repito, é só uma impressão…

Em tempo: a notícia veio pelo excelente site de meu amigo Marcus Reis (para acessá-lo, clique aqui) que, por sua vez, a buscou em um blog DEFESA BR, que eu não conhecia, mas de já gostei no primeiro acesso. Recomendo ambos!

AFP via R7 – 23/1/2013 às 12h56

Senado dos EUA aprova US$ 631 bi para Defesa

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta terça-feira um orçamento de 631 bilhões de dólares para o Pentágono em 2013, apesar do impasse em torno do plano para a redução do déficit que poderá levar a enormes cortes nos gastos militares nos próximos anos. Continuar lendo

Senado aprova nova lei de acesso à informação… nos EUA!

US-SenateEnquanto as atenções estão voltadas para o “abismo fiscal”, segue notícia que deve interessar acadêmicos e o pessoal da comunidade de inteligência. O Senado dos EUA aprovou, no último dia 28, uma nova legisação de acesso à informação, menos restritiva que anterior. Vale destaque para a manutenção da obrigatoriedade da Adminsitração pública de informar ao Congresso qualquer desclassificação de documento fornecido à imprensa. A medida pode ser singela, mas revela o Legislativo efetivamente realizando o controle dos serviços secretos.

Senate Passes Intelligence Bill Without Anti-Leak Measures

December 31st, 2012 by Steven Aftergood

The Senate passed the FY2013 intelligence authorization act on December 28 after most of the controversial provisions intended to combat leaks had been removed.

Sen. Dianne Feinstein, the chair of the Senate Intelligence Committee, said the bill was revised in order to expedite its passage. Continuar lendo

Escapando do abismo…

us senate fiscal cliffBom que a coisa está andando nos EUA… Não é salutar para ninguém (e isso inclui a nós aqui ao sul…) que a maior economia do planeta entre em recessão… Já basta a crise na Europa… e, por favor, não me venham com discursos antiamericanos (é assim que se escreve, presidente Lula?)… D’us abençoe a América!

01/01/2013 – 08h45 

Senado dos EUA aprova acordo para evitar ‘abismo fiscal’

O Senado dos EUA aprovou, por maioria esmagadora de 89 votos a favor e 8 contra, um acordo para evitar aumentos de impostos e cortes de gastos conhecido como “abismo fiscal”. O projeto de lei, que aumenta os impostos para os ricos, veio depois de longas conversações entre o vice-presidente Joe Biden e os republicanos do Senado. A Câmara dos Representantes – equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil – deve apreciar o tema ainda hoje, mais tarde, embora a votação não tenha sido agendada. Cortes de gastos foram adiados por dois meses para que um acordo mais amplo fosse possível. O Congresso havia perdido o prazo para aprovar a nova lei, mas os efeitos não foram sentidos ainda porque é um feriado público dos EUA. Cortes de impostos aprovados durante a presidência de George W. Bush formalmente expiraram à meia-noite de segunda-feira. Sem um acordo, os impostos subiriam para virtualmente todos os americanos que trabalham. Continuar lendo