Ainda sobre a crise nuclear iraniana

As coisas seguem sem grandes mudanças no Oriente Médio. A boa notícia é que parece que o clima esfriou um pouco por lá na questão iraniana. Pode ser que a diplomacia saia vitoriosa e que a solução belicosa seja substituída por um acordo… Pode ser…

Sinceramente, acho que os iranianos estão ganhando tempo… Tenho minhas dúvidas sobre um acordo com os aiatolás…

Claro que Obama também ganha tempo… seria desastrosa qualquer ação militar contra o Irã a alguns meses das eleições presidenciais nos EUA.

Enquanto isso, o resto do mundo acompanha, temeroso, o desenrolar desses acontecimentos…

West to target Iran’s nuclear fuel work

Reuters, 8ABR2012, 3:18pm EDT

By Dan Williams and Marcus George

JERUSALEM/DUBAI (Reuters) – The United States and its allies are pressing for an end to Iran’s high-level uranium enrichment and the closure of a facility built deep under a mountain as talks on Tehran’s nuclear standoff with the West resume this week.

Iranian media and Western officials said the talks, which collapsed more than a year ago, would begin on Saturday in Istanbul.

A return to the table, as the Western allies tighten sanctions over what they say is Tehran’s programme to develop nuclear weapons, had been in doubt after Iran and the P5+1 countries – the United States, Britain, France, Russia, China and Germany – released conflicting statements about the venue. Continuar lendo

Ainda sobre o ataque israelense contra o Irã

Análise interessante sobre a “futilidade” de um ataque preventivo. Publicado há alguns dias, mas acho que vale a pena a leitura…

The futility of attacking Iran

Haaretz, 09FEV2012 – By Reuven Pedatzur
 

Defense Minister Ehud Barak continues to drop hints and wink when he speaks about mysterious explosions inIran.

The analysts on NBC, who quoted “senior Israeli security officials,” know exactly howIsraelplans to attackIran. The chief of staff, Benny Gantz, did not miss the opportunity they provided and told the participants in the Herzliya Conference last week: “It is important to act, to build a strong and most reliable military capacity that is skilled and ready, so that we will be prepared to operate it, if and when there is need.” Continuar lendo

Inteligência turca alerta sobre ataques a alvos estadunidenses na Turquia

Segundo o Haaretz, os iranianos estariam patrocinando células terroristas para promover ataques a alvos estadunidenses na Turquia, teria informado a inteligencia turca. Difícil é dizer o grau de confiabilidade dessa informação. Seria uma resposta de Teerã ao assassinato do cientista na semana passada?

Sei não, mas se a coisa continuar desse jeito (lembremos que ainda estamos em janeiro), pode ser que 2012 não acabe sem uma guerra no Oriente Médio. Isso não será bom nem para os EUA, nem para Israel e tampouco para o Irã… Não será bom para ninguém…

Haaretz – 17.01.12 – By Avi Issacharoff

Report: Iran planning attacks on U.S. targets in Turkey

According to Turkish Zaman daily, a cell of the Quds Unit of Iran’s Revolutionary Guard is planning to attack U.S. embassy in Ankara. Continuar lendo

Declaração oficial do Ministro das Relações Exteriores do Irã responsabiliza a CIA pela morte do cientista

A provocação continua. O que surpreende é a insistência iraniana em afrontar os EUA e seus aliados (inclusive o por eles chamado “Estado sionista”) e continuar testando os limites da diplomacia… Será que se sentem tão seguros de si ou certos de que Washington resistirá às provocações? Repito, a acusação é grave, sobretudo vindo de uma autoridade pública.

Iran sends rare letter to U.S. over killed scientist

Reuters, 14JAN2012, 12:30pm EST – By Parisa Hafezi

TEHRAN (Reuters) – Iran said on Saturday it had evidence Washington was behind the latest killing of one of its nuclear scientists, state television reported, at a time when tensions over the country’s nuclear program have escalated to their highest level ever.

In the fifth attack of its kind in two years, a magnetic bomb was attached to the door of 32-year-old Mostafa Ahmadi-Roshan’s car during the Wednesday morning rush-hour in the capital. His driver was also killed. Continuar lendo

A guerra de nervos em torno do Irã

Dessa vez,  a análise Lukyanov diz respeito à tensão crescente envolvendo o Irã. Comenta, inclusive, o artigo da edição de janeiro/fevereiro de 2012, que propões expressamente que atacar o Irã é “the least bad option“. Gostei, particularmente, do seguinte comentário:

This is a psychological war. Both sides are playing a game of brinksmanship, hoping that they will not have to act on their threats.

Atenção especial à análise sobre o equilíbrio de forças e os interesses na região do Golfo Pérsico. Concordo com Lukyanov de que os EUA não estão dispostos a uma outra guerra depois de dez anos de Afeganistão e Iraque, bem como que Teerã joga contando com o apoio russo e chinês (o problema é até quando Moscou e Pequim permanecerão garantes das provocações do regime dos Aiatolás).

Recomendo, especialmente a meus alunos de Relações Internacionais.

RIA Novosti

Uncertain World: The war of nerves around Iran

15:36 12/01/2012

The January/February 2012 issue of the magazine Foreign Affairs features an article with the shocking title: Time to Attack Iran: Why a Strike Is the Least Bad Option. It is indicative of the current mood and may set the tone for the rest of the year. Continuar lendo