Um ataque ao Irã?

A declaração de Barak (do Ehud, não de Obama), soa como manobra diversionista, antecendente da ação militar… Claro que qualquer medida de força não será nada fácil, tanto pela capacidade de resposta do Irã quanto pelos fatores geopolíticos que condicionam as ações na região (como a rivalidade árabe-israelense, a questão enérgica e, sobretudo, os interesses das grandes potências, particularmente dos EUA e da Rússia).

De toda maneira, o resultado das eleições nos EUA na próxima semana terá impacto sobre a decisão de Tel Aviv, isso é óbvio! O que não é tão óbvio é até que ponto Netanyahu está disposto a continuar com o apaziguamento de Washigton e se arriscar a ser agredido por uma nova potência nuclear ao invés de tentar um ataque preventivo…

Iran pulls back from nuclear bomb goal: Israeli defense minister

Photo
2Reuters, 30OCT2012 – :42pm EDT

LONDON (Reuters) – Iran has drawn back from its ambitions to build a nuclear weapon, Israel’s defense minister was quoted as saying on Tuesday, while warning that his country may still have to decide next year whether to launch a military strike against it. Continuar lendo

Ainda sobre a crise nuclear iraniana

As coisas seguem sem grandes mudanças no Oriente Médio. A boa notícia é que parece que o clima esfriou um pouco por lá na questão iraniana. Pode ser que a diplomacia saia vitoriosa e que a solução belicosa seja substituída por um acordo… Pode ser…

Sinceramente, acho que os iranianos estão ganhando tempo… Tenho minhas dúvidas sobre um acordo com os aiatolás…

Claro que Obama também ganha tempo… seria desastrosa qualquer ação militar contra o Irã a alguns meses das eleições presidenciais nos EUA.

Enquanto isso, o resto do mundo acompanha, temeroso, o desenrolar desses acontecimentos…

West to target Iran’s nuclear fuel work

Reuters, 8ABR2012, 3:18pm EDT

By Dan Williams and Marcus George

JERUSALEM/DUBAI (Reuters) – The United States and its allies are pressing for an end to Iran’s high-level uranium enrichment and the closure of a facility built deep under a mountain as talks on Tehran’s nuclear standoff with the West resume this week.

Iranian media and Western officials said the talks, which collapsed more than a year ago, would begin on Saturday in Istanbul.

A return to the table, as the Western allies tighten sanctions over what they say is Tehran’s programme to develop nuclear weapons, had been in doubt after Iran and the P5+1 countries – the United States, Britain, France, Russia, China and Germany – released conflicting statements about the venue. Continuar lendo

Qual o preço de não agir contra o Irã?

Matéria muito elucidativa sobre a viagem de Bibi Netanyahu aos EUA e a perspectiva israelense frente aos últimos acontecimentos da crise iraniana. Recomendo a leitura!

Haartez.com – 07.03.12

Netanyahu, Obama divided on price of Israeli strike against Iran

By Barak Ravid

Netanyahu considers missiles on Tel Aviv preferable to nukes in Iran, says senior Israeli official.

Prime Minister Benjamin Netanyahu presented one central question during his meetings in Washington in the past few days: “What will be the price of not acting against Iran?” he asked at every opportunity. Continuar lendo

Crise do Irã: rumo a uma solução pacífica?

As duas últimas semanas foram interessantes nas relações entre o mundo civilizado e o chamado “Eixo do Mal”. Enquanto Bob Filho anunciou o acordo com os EUA para suspensão do programa nuclear norte-coreano em troca de comida para a população do país mais fechado do planeta (alguém finalmente descobriu em Piong Yang que as pessoas precisam comer, esse luxo capitalista!), no Irã parece haver um clima de apaziguamento e “solução negociada” para o problema do programa nuclear dos aiatolás… Sinceramente, quando a esmola é grande o santo desconfia!

Confesso que tenho certa dificuldade em acreditar na mudança do discurso de Teerã. Mas talvez tenha sido essa a alternativa possível para Armandinho e sua turma. Aceitaram até a visita do pessoal da Agência Internacional de Energia Atômica! É estranho ou não é?

Sei não, mas diante desse cenário só lembrei da situação de calmaria em que fica a praia antes do tsunami…

Obama says new Iran talks should calm “drums of war”

Photo
Reuters – 06/03/2012 – 7:57pm EST

WASHINGTON/BRUSSELS (Reuters) – President Barack Obama said an announcement on Tuesday of six-power talks with Iran offered a diplomatic chance to defuse a crisis over its nuclear program and quiet the “drums of war.”

EU foreign policy chief Catherine Ashton, who represents the United States, Russia, China, France, Britain and Germany in dealings with Iran, announced a fresh bid to allay suspicions that Iran is developing nuclear weapons after weeks of consultations with the other powers. Continuar lendo

Ainda sobre o ataque israelense contra o Irã

Análise interessante sobre a “futilidade” de um ataque preventivo. Publicado há alguns dias, mas acho que vale a pena a leitura…

The futility of attacking Iran

Haaretz, 09FEV2012 – By Reuven Pedatzur
 

Defense Minister Ehud Barak continues to drop hints and wink when he speaks about mysterious explosions inIran.

The analysts on NBC, who quoted “senior Israeli security officials,” know exactly howIsraelplans to attackIran. The chief of staff, Benny Gantz, did not miss the opportunity they provided and told the participants in the Herzliya Conference last week: “It is important to act, to build a strong and most reliable military capacity that is skilled and ready, so that we will be prepared to operate it, if and when there is need.” Continuar lendo

Enquanto isso, em Israel…

Segue o editorial do Haaretz de hoje. Alguns diriam que a sociedade israelense está dividida quanto a uma ação contra o Irã. Difícil dizer, pois não estou acompanhando o assunto tão de perto. Daqui de longe, o que parece é que a maioria dos israelenses não desejam a solução bélica para o caso, ou pelo menos estão bastante apreensivos quanto às medidas a serem tomadas por Tel Aviv diante das provocações de Teerã…

Não parece uma boa idéia atacar o Irã (ao menos neste momento). Provavelmente, a ação armada de Israel despertaria a ira (sem trocadilhos) de muitos muçulmanos pelo mundo, talvez de alguns governos… Isso sem falar do terrorismo… Enfim, as consequências podem ser as piores… para todos. Apesar de muito difícil, a alternativa do diálogo talvez seja a mais sensata. Isso se os iranianos estiverem dispostos a conversar…

Israel must listen to U.S. warnings against Iran attack

Haaretz Editorial, 20FEV2012

Does Iran truly intend to use nuclear technology for military purposes, or do its leaders recognize that the international response to such a development could jeopardize its very survival? Continuar lendo

Israel deve atacar o Irã na primavera, diz Panetta

Quando o Secretário de Defesa dos EUA permite que se torne pública uma informação como esta, é sinal de que a coisa tem realmente grandes chances de acontecer! Se eu fosse Armandinho ou os aiatolás colocaria minhas barbas de molho…

Panetta believes Israel may strike Iran this spring: reports

Reuters, 02FEB2012

WASHINGTON (Reuters) – Defense Secretary Leon Panetta believes there is a growing possibility Israel will attack Iran as early as April to stop Tehran from building a nuclear bomb, U.S. media reported on Thursday. Continuar lendo

Mais sobre Israel e o programa nuclear iraniano

Hoje, conversando com alguns amigos sobre a possibilidade de um ataque israelense ao Irã, um deles lembrou bem que Israel não costuma anunciar antecipadamente suas ofensivas militares. Entretanto, não é de hoje que se tem intensificado o discurso das autoridades israelenses de que o Irã deve ser contido. Parece que a opinião pública doméstica e a comunidade internacional estariam sendo “preparadas” para uma eventual medida de força comandada por Tel Aviv.

Difícil, entretanto, afirmar com segurança se o ataque contra o Irã realmente acontecerá este ano. Há que se considerar, para Israel desencadear qualquer ofensiva militar contra o Irã, os custos políticos, econômicos e, principalmente, de vidas humanas. Também a eleição presidencial nos EUA não deve ser desprezada (será que os israelenses fariam algo sem o apoio e o consentimento de seu maior aliado?).

Teerã, por sua vez, continua com as provocações. E o regime dos aiatolás, relembre-se, é uma ameaça a vários países do Golfo (inclusive Estados árabes). E uma ação israelense contra o Irã até poderia agradar a alguns governos da região…

De toda maneira, pode até acontecer um ataque israelense contra o Irã… Só que ninguém disse aqui neste site que o referido ataque não poderia se dar de outras maneiras, como um ação ofensiva cibernética ou “medidas ativas” direcionadas (usando-se forças especiais ou o pessoal da inteligência). Alternativa também seria o financiamento da oposição a Armandinho e sua turma… A coisa só esquenta por ali…

IDF chief: Iran’s nuclear program must continue to be disrupted

Haaretz.com 02FEB2011 – By Gili Cohen

Israel Defense Forces Chief of Staff Lt. Gen. Benny Gantz said on Wednesday that the threats facing Israel have increased and intensified in recent years due to regional instability. He also said that Iran’s attempts to acquire nuclear weapons must continue to be disrupted. Continuar lendo

Declaração oficial do Ministro das Relações Exteriores do Irã responsabiliza a CIA pela morte do cientista

A provocação continua. O que surpreende é a insistência iraniana em afrontar os EUA e seus aliados (inclusive o por eles chamado “Estado sionista”) e continuar testando os limites da diplomacia… Será que se sentem tão seguros de si ou certos de que Washington resistirá às provocações? Repito, a acusação é grave, sobretudo vindo de uma autoridade pública.

Iran sends rare letter to U.S. over killed scientist

Reuters, 14JAN2012, 12:30pm EST – By Parisa Hafezi

TEHRAN (Reuters) – Iran said on Saturday it had evidence Washington was behind the latest killing of one of its nuclear scientists, state television reported, at a time when tensions over the country’s nuclear program have escalated to their highest level ever.

In the fifth attack of its kind in two years, a magnetic bomb was attached to the door of 32-year-old Mostafa Ahmadi-Roshan’s car during the Wednesday morning rush-hour in the capital. His driver was also killed. Continuar lendo