O passado alemão de Vladimir

Vladimir Putin in KGB uniformIndubitavelmente, uma das melhores matérias que já reproduzi aqui em Frumentarius. Fundamental, para todos os interessados em Política Externa e Relações Internacionais, bem como em temas relacionados a Segurança e Inteligência, é conhecer a biografia de Vladimir Putin, com destaque para seus anos de KGB e, mais especificamente, para o tempo que passou  na Alemanha Oriental. Como se destaca na própria matéria, o Putin e a Rússia de hoje seriam bem diferentes sem aquele período do atual líder sovié…, digo, russo, entre os alemães.

Interessante observar, ainda, que Putin conhece  bem os alemães, sabe como eles pensam. Mas aí alguém perguntaria: “mas não seriam os alemães orientais que ele conhece bem?”. Respondo lembrando que, antes de tudo,  alemães orientais são alemães… e que Frau Merkel (por quem nutro enorme simpatia) é alemã oriental! De fato, convém assinalar que os dois maiores líderes europeus conhecem bem a realidade e a maneira de pensar de alemães e russos. Assim como Putin conhece os alemães, Frau Merkel conhece os russos, e fala sua língua (tenho minhas dúvidas se algum outro líder ocidental tenha esse conhecimento).

Conversando esses dias com meu grande amigo Túlio Leal (que me encaminhou a matéria e acha que não leio seus e-mails), tentávamos imaginar como seria um encontro entre Putin, Merkel e outros líderes, como Hollande. Merkel fala e alemão, Putin entende e responde em russo – Merkel compreende claramente o que ele quis dizer… Interessante, não?

Enfim, os líderes ocidentais muitas vezes parecem não saber com quem estão lidando quando tratam de Rússia. Exceto Frau Merkel. Frau Merkel conhece a Rússia. Frau Merkel entende Putin. Gosto de Putin. Putin é KGB.

Vladimir Putin’s formative German years

Vladimir Putin in Dresden in 2006

It is 5 December 1989 in Dresden, a few weeks after the Berlin Wall has fallen. East German communism is dying on its feet, people power seems irresistible.

Crowds storm the Dresden headquarters of the Stasi, the East German secret police, who suddenly seem helpless.

Then a small group of demonstrators decides to head across the road, to a large house that is the local headquarters of the Soviet secret service, the KGB.

“The guard on the gate immediately rushed back into the house,” recalls one of the group, Siegfried Dannath. But shortly afterwards “an officer emerged – quite small, agitated”.

“He said to our group, ‘Don’t try to force your way into this property. My comrades are armed, and they’re authorised to use their weapons in an emergency.'”

That persuaded the group to withdraw.

But the KGB officer knew how dangerous the situation remained. He described later how he rang the headquarters of a Red Army tank unit to ask for protection.

The answer he received was a devastating, life-changing shock.

“We cannot do anything without orders from Moscow,” the voice at the other end replied. “And Moscow is silent.”

That phrase, “Moscow is silent” has haunted this man ever since. Defiant yet helpless as the 1989 revolution swept over him, he has now himself become “Moscow” – the President of Russia, Vladimir Putin.

Continuar lendo

Síria X Turquia

Para se começar a entender a real dimensão da crise, convém lembrar que a Turquia tem o apoio da OTAN (o país é membro da aliança desde 1952), enquanto a Síria encontra-se na esfera de influência russa e é apoiada pelos iranianos. Ou seja, nada é simples por ali…

Turkey warns Syria more strikes would be fatal mistake

Reuters, 05OUT2012 – 4:39pm EDT

ISTANBUL (Reuters) – Turkey’s prime minister said on Friday his country did not want war but warned Syria not to make a “fatal mistake” by testing its resolve, and its army retaliated for a third day running after more mortar rounds from Syria landed on its soil.

In a belligerent speech to a crowd in Istanbul, Turkish Prime Minister Tayyip Erdogan warned Syrian President Bashar al-Assad that Turkey would not shy away from war if provoked. Continuar lendo

Russos acusam Israel de incentivar os EUA contra o Irã

Notícia com acusação grave, divulgada em um dos principais jornais israelenses. Ainda tentando entender o que há por trás da declaração do assessor de segurança nacional de Putin (os russos têm, os americanos têm, o Brasil não tem um assessor de segurança nacional junto ao Presidente, só para constar…) e da publicação da matéria no Haaretz…

Haaretz – 12.01.12
By Reuters and Eli Shvidler

Israel is pushing U.S. toward Iran war, Russian official says

Nikolai Patrushev, head of the Kremlin’s Security Council, warns Iran could retaliate by blocking oil shipments from the Gulf.

Russia fears Israel will push the United States into a military conflict with Iran which could retaliate by blocking oil shipments from the Gulf, a confidant of Prime Minister Vladimir Putin said on Thursday. Continuar lendo

Navios de guerra russos na Síria

E por falar em política externa de grande potência, os navios de guerra russos continuam no porto de Tartus, na Síria. Assad ganhou sobrevida importante com essa manobra.

Isso é que eu chamo de demonstração de força por parte de Moscou! O melhor é declaração do comandante da frota de que “a manobra nada tem a ver com a crise na Síria”… Gostei!

RIA Novosti

Syria hails visit of Russian warships to Tartus

02:25 09/01/2012

Syrian authorities have called the visit of a Russian naval task force to the port of Tartus a “show of solidarity with the Syrian people,” the official SANA news agency reported.

A Russian task force, led by the Admiral Kuznetsov aircraft carrier, arrived in Tartus on Sunday to replenish water and food supplies during a long-term training mission in the Atlantic and the Mediterranean. Continuar lendo

Os russos e o programa nuclear iraniano

Matéria sobre a posição de Moscou sobre o programa nuclear iraniano. Diante de todas essas provocações que Armandinho de Teerã e sua turma têm feito contra as potências ocidentais,é bom lembrar que os persas têm um trunfo que nem o Iraque, nem Kadafi (e ao menos não na mesma escala, que Chico César e Bob Filho tinham/tem na Coréia do Norte): o apoio russo eo chinês. Nesse delicado jogo no Oriente Médio, Rússia e China também colocam suas peças no tabuleiro… Trata-se de aspecto que não pode ser de forma alguma ignorado…

RIA Novosti

Tehran hails Moscow’s diplomatic efforts over Iranian nuclear program

http://en.rian.ru/russia/20120105/170631657.html

17:16 05/01/2012

Iranian President Mahmoud Ahmadinejad told his Russian counterpart Dmitry Medvedev during a telephone conversation on Thursday that Tehran backed Moscow’s diplomatic efforts to settle the dispute over Iranian nuclear program, the Kremlin said.

……..More

“Medvedev noted with satisfaction the Iranian president’s positive assessment of the Russian initiative, a plan of gradual restoration of trust to the Iranian nuclear program,” the Kremlin said, adding that both leaders had agreed to continue talks on this issue.

The two presidents spoke the next day after the EU officials reached a preliminary agreement, backed by the United States, to impose an embargo on the Iranian oil exports that make up 60 percent of the country’s revenues.

The oil embargo may leave Tehran without its second largest market since the EU states buy 450,000 barrels of Iranian oil per day (bpd). China, the main customer of Iranian oil, has already cut its orders by more than half this month.

Tensions between Washington and Tehran aggravated in late December when the Iranian Navy, involved in the Velayat-90 military drills, discovered an American aircraft carrier nearby.

The situation around the maneuvers escalated when Iranian authorities said they might close the Strait of Hormuz which accounts for one-third of the world’s tanker-borne oil and 17 percent of all oil traded worldwide. The United States however rejected the threat, saying that its navy would carry on mission in the strait.

Western powers and Israel suspect Iran of seeking to build nuclear weapons. Iran denies this, saying its program is civilian in nature.

Continuar lendo

Nostalgia soviética

Ainda por ocasião dos 20 anos do fim da União Soviética, segue mais um interessante artigo de Fyodor Lukyanov sobre a nostalgia dos tempos da foice e do martelo e como isso pode afetar a Rússia hoje… Como sempre, recomendo a meus alunos de Relações Internacionais.

Em tempo: para uma matéria da ABC News sobre o tema, clique aqui.

RIA Novosti

Uncertain World: Destructive Soviet nostalgia

18:46 08/12/2011
 

Twenty years ago, on December 8, 1991, the leaders of the Soviet Union’s Slavic republics – Russia, Ukraine and Byelorussia – signed an agreement dissolving the Soviet Union. Formally, they claimed the right to dissolve it because these three republics established it in 1922. Many analysts still dispute the legitimacy of this deal, but that does not change anything. By December 1991, the Soviet Union had de facto ceased to function, as power already belonged to its constituent republics. Continuar lendo

Parceria Russo-Indiana

Aproveitando que os BRIC (não adianta que não vou incluir a África do Sul no grupo, ainda) estão em voga, é bom ficar atento para o incremento na parceria russo-indiana na área militar e de Defesa. Além da transferência do submarino nuclear, há outros projetos interessantes entre os dois países, como o fornecimento dos MIG-29K para a Força Aérea indiana. De fato, a maior parte dos equipamentos das Forças Armadas da Índia é de origem russa. Ademais, a Rússia já se mostrou favorável à idéia de se ter a Índia como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU (para o desespero de alguns diplomatas por aqui e a alegria de outros).

Note-se que, em termos de segurança, Rússia e Índia tem ao menos dois adversários em comum: o terrorismo islâmico e… a China! (tudo bem, a China é um importante parceiro comercial de ambos, é um BRIC e tudo mais… mas é a China, faz fronteira com os dois países, e pesa no equilíbrio de poder na região).

Bom, convém ficar de olho nessa parceria estratégica (realmente estratégica)…

RIA Novosti

Russian nuclear sub ‘ready’ for India transfer

13:16 28/12/2011

Russia’s Nerpa nuclear submarine has finished sea trials and is now ready to be leased to the Indian navy in the next few days, an engineer said on Wednesday. Continuar lendo