Um ataque ao Irã?

A declaração de Barak (do Ehud, não de Obama), soa como manobra diversionista, antecendente da ação militar… Claro que qualquer medida de força não será nada fácil, tanto pela capacidade de resposta do Irã quanto pelos fatores geopolíticos que condicionam as ações na região (como a rivalidade árabe-israelense, a questão enérgica e, sobretudo, os interesses das grandes potências, particularmente dos EUA e da Rússia).

De toda maneira, o resultado das eleições nos EUA na próxima semana terá impacto sobre a decisão de Tel Aviv, isso é óbvio! O que não é tão óbvio é até que ponto Netanyahu está disposto a continuar com o apaziguamento de Washigton e se arriscar a ser agredido por uma nova potência nuclear ao invés de tentar um ataque preventivo…

Iran pulls back from nuclear bomb goal: Israeli defense minister

Photo
2Reuters, 30OCT2012 – :42pm EDT

LONDON (Reuters) – Iran has drawn back from its ambitions to build a nuclear weapon, Israel’s defense minister was quoted as saying on Tuesday, while warning that his country may still have to decide next year whether to launch a military strike against it. Continuar lendo