Um já foi… Qual será o próximo a cair de maduro?

world_01_temp-1385803778-5299b002-620x348 Tudo indica que Yanukovich está fora do jogo político da Ucrânia e que a oposição venceu. Vejo a notícia com ressalvas porque o inesperado pode acontecer naquela bela e rica parte do mundo… Moscou ainda não se manifestou sobre a queda do presidente ucraniano. Se estiver confirmado que foi deposto, podemos estar diante de grandes transformações naquele país, com algumas possibilidades não-necessariamente excludentes: 1) uma aproximação com o Ocidente e com a União Européia e mais liberdade e democracia; 2) um movimento de xeque russo, que pode ser surpreendente; 3) a fragmentação do país.

De toda maneira, parece que um ditador já foi. A milhares de quilômetros que Kiev, outra crise de governabilidade coloca milhares de pessoas contra um regime autoritário: apesar da proximidade com o Brasil, parece que chega menos notícia aqui da Venezuela que da Ucrânia… Será que é porque ali é o companheiro Maduro e o regime autoritário bolivariano (detesto esse termo, e acho que o grande Bolívar também odiaria) que estão na berlinda?

2014-02-16T194828Z-1110150863-GM1EA2H0ABH01-RTRMADP-3-VENEZUELA-PROTESTS-size-598Logo escreverei aqui sobre a Venezuela. A situação ali é muito preocupante também. E gente tem sido presa, tem desaparecido, tem sido ferida e morta. O governo brasileiro mantém seu apoio a Maduro. O Mercosul (quê?) também, apesar da cláusula democrática (ah, sim! haveria uma coisa assim no bloco). Nem vou falar da Unasul…

16fev2014---manifestante-participa-de-protesto-em-altamira-regiao-metropolitana-de-caracas-venezuela-exigindo-a-libertacao-dos-estudantes-presos-em-manifestacoes-anteriores-neste-domingo-16-1392613640A cobertura sobre os efeitos da crise venezuelana por aqui é ínfima. Parece que os brasileiros estamos completamente apáticos diante do que ocorre no país vizinho. Não estamos, ao menos alguns. Esta semana, por exemplo, um grupo de jovens e bravos estudantes fez um protesto diante da Embaixada da Venezuela contra as violações aos direitos humanos e o autoritarismo do regime de Caracas. Perguntei sobre a cobertura da mídia à manifestação. Resposta: inexistente. Meus parabéns ao grupo pela coragem e pelo exercício de um direito fundamental na democracia!

Ucrania4Bom, como estamos na América Latina, há sempre o risco do novo Caracazo acabar antes de qualquer resultado que não seja a contabilização das vítimas que terão caído em vão. Ao menos na Ucrânia, isso parece não ter acontecido. Agora em Kiev é hora de chorar os mortos e sonhar com um futuro de liberdade econômica, política e social. E é tempo de se planejar um país em que o discurso autoritário, as ideologias anacrônicas, a corrupção e a falta de compromisso com a coisa pública não devem prosperar. A lição está dada, em que pese o sangue que foi lamentavelmente derramado pela liberdade. Temos muito que apreender com os ucranianos.

rtx199bb.si

De volta…

Depois de cerca de dois meses inativo aqui no site (exatamente devido aos inúmeros compromissos do mundo real), estamos de volta para comentar sobre “um pouco de tudo”! Sei que não é positivo ficar tanto tempo sem escrever em Frumentarius, e que isso provoca redução no número de leitores [não tenho como calcular, mas talvez se tenha reduzido pela metade… de toda maneira, ainda se mantêm 4 ou 5 de nossos caríssimos e fiéis leitores! (+ a NSA e o Obama)]…

Vamos ver se consigo retomar o ritmo de outrora! Afinal, o mundo continua interessante de ser comentado! Em termos internacionais, voltaremos a tratar da Síria (pois é, ainda está lá, sabiam?), da Venezuela surreal, das relações entre grandes potências, como a Mãe Rússia e seu Czar (gosto do Putin; Putin é KGB), das desventuras de seu colega menos poderoso (hehehehe) em tentar justificar a espionagem contra outros líderes mundiais, e os problemas dos BRICS…

Apesar de não tratar de política interna, também pretendo trazer alguns comentários sobre a maneira como Pindorama é impulsionado para o fundo do poço (Gramsci explica) e, expressamente, sobre o descaso com que nossa Defesa, nossa Segurança e, sobretudo, nossa Inteligência são tratadas por aqueles que deveriam gerir a coisa pública.

E, claro, retomaremos nossos posts sobre assuntos tremendamente interessantes e positivos, como a causa monárquica, as descobertas da ciência e a História mundial e do Brasil. 

Agradecendo novamente a minha querida mamãe (que me garantiu, provavelmente, 80% dos cerca de 150 acessos diários nesses meses parado) e ao conjunto dos meus queridos 6 leitores, retomo as atividades de Frumentarius! Avante!

mafalda-51496

Eleições na Venezuela

Com as eleições se aproximando (falo da Venezuela, não do Brasil), segue uma excelente análise de meu amigo Michael Harvey sobre Chavezlândia… Michael conhece bem aquele país (e a Colômbia, e o nosso…). Recomendo leitura atenta.

Michael Harvey: ‘Democracy,’ Venezuelan-style

Michael Harvey, Special to National Post | Oct 4, 2012 2:33 PM ET | Last Updated: Oct 4, 2012 3:11 PM ET More from Special to National Post
LUIS ACOSTA/AFP/Getty Images

LUIS ACOSTA/AFP/Getty ImagesVenezuelan President Hugo Chavez dances during a campaign rally for his reelection in Valencia, Carabobo state, Venezuela on Wednesday.

The government of Canada’s Americas Strategy rests on the pillars of security, prosperity and democratic governance. Venezuelans will go to the polls on Sunday in elections that will challenge all three.

Hugo Chavez has been in power for 13 years. It is tragic that Venezuela has completely wasted the great China-driven natural resources boom that has helped millions of Brazilians, Colombians, Peruvians and other Latin Americans to escape poverty and join the middle classes. This oil and mineral-rich country is poorer, more dependent and more corrupt than it was when he arrived. Venezuela is now the most violent country in South America. Canadian investors have rightly stayed away, but have a great deal to offer should Venezuela take the path of progress. Continuar lendo

Chávez e a manjedoura

Taí uma coisa realmente bizarra… Quando a gente pensa que Huguito chegou a seu ápice, ele surpreende…

Folha = 09/12/2011 – 14h48

Presépio com Chávez diante da manjedoura causa polêmica na Venezuela

DA REUTERS, EM CARACAS

Na Bíblia, pastores e sábios prestam homenagem ao recém-nascido Jesus. Na Venezuela, parece que o presidente Hugo Chávez também apareceu na manjedoura.

Uma cena de um presépio em Caracas mostrando o presidente socialista em frente à manjedoura transformada em berço provocou polêmica no país politicamente polarizado. Continuar lendo

Chavez e a China

Pequim aumenta sua presença na América Latina. Pelo visto, a China se mostra muito ativa e influente que a URSS noas bons tempos da Guerra Fria, nesse continente que durante décadas foi incontestável área de influência estadunidense.

Entre estar sob a hegemonia dos EUA e da China, digo sempre, prefiro a de Washington…

HasVenezuela’s Chavez Become a Chinese Puppet inLatin America?

 “China is already Venezuela’s second main commercial partner and Chavez has made all efforts to tie his regime to China in what could be called the CHI-CHA connection,” says Venezuelan expert Gustavo Coronel, asking of the $80 billion in loans: “Has Hugo Chavez’s anti U.S. obsession has driven him into the arms of China?”

By Gustavo Coronel, Latin American Herald Tribune, 11OCT2011 –
http://www.laht.com/article.asp?ArticleId=431587&CategoryId=13303

Hugo Chavez’s anti U.S. obsession has driven him into the arms of China. If it wasn’t so truly tragic this could be the stuff soap operas are made of: the spiteful woman rejected by a lover who gives herself to a rich suitor. Continuar lendo

Chávez continua governando, apesar da doença…

Depois de anunciada a terrível doença que acometeu Hugo Chávez, seguidas manifestações das autoridades públicas ocorreram no sentido de deixar claro que o ditador continua mandando na Venezuela.

Interessante a assertiva do Vice, que tem muito amor por sua cabeça, de que não há que se falar em delegação de competências… O Presidente continua governando…

Em tempo: recordo-me de uma piadinha contada na Espanha logo após a redemocratização:

O generalíssimo Franco está em seu leito, nos últimos momentos de vida, mas ainda consciente. Do lado de fora do Palácio do caudilho, uma multidão de espanhóis se aglomera para acompanhar o canto do cisne do ditador…

Chega então um assessor de Franco, aproxima-se da cama do moribundo, e diz: “Generalíssimo, aí fora há milhares de espanhóis que vieram se despedir do senhor…” Ao que Franco retruca: “É, meu filho?! E para onde é que eles estão indo???”

Deixar o poder não é fácil… Mais difícil, em um momento como este, é encontrar um corajoso para assumir as funções do ditador. Enquanto isso, o país segue como pode… Alguém se canditata a substituir o líder da Revolução Bolivariana???

Vicepresidente Jaua: Aquí no vale discusión de delegación de competencias

1.Jul.2011 / 02:41 pm

El vicepresidente de la República Bolivariana de Venezuela, Elías Jaua, aseveró este viernes que “aquí no vale discusión de delegación de competencias”, durante una rueda de prensa que ofreció desde la Vicepresidencia de la República. Continuar lendo