Sou Candango! E amo minha Brasília!

Sim, sou Candango! Candango é como eram chamados os que vieram para construir Brasília. Trabalhadores dos diferentes pontos do Brasil, todos aqui motivados por um sonho, um sonho de Dom Bosco, um sonho de muitos brasileiros, um sonho  que se tornou realidade graças a um garoto pobre do interior de Minas Gerais, que chegou a Presidente e liderou outros milhares de homens e mulheres sonhadores na execução de um grande projeto aqui no Planalto Central!

Sou Candango, e me orgulho disso! Não gosto do termo “brasiliense”, que alguns querem usar por achar “sofisticado”. Sou da primeira geração que nasceu nesta Capital, pela qual sou alucinadamente apaixonado, e, ao construir minha vida, também continuo a construção minha cidade amada. Can-dan-go! Candango tal qual meu pai e minha mãe. Candango como quero que meus filhos sejam!

Brasília não é só concreto (apesar de ser um museu de concreto a céu aberto), longe disso. Brasília não são os políticos que o restante do País manda para cá (até porque, desses, nenhum é realmente daqui). Brasília não é frieza, alienação ou distanciamento. Brasília não é ficção.

Brasília é gente, gente que vive, gente que trabalha, gente que sorri, gente que ama. É gente de diferentes feições e diferentes sotaques, muitos e variados sotaques, ao ponto de ainda termos dúvida sobre o modo característico como falamos. É ausência de identidade? Não, é uma identidade plural a do povo daqui. Brasília é gente, sim! É brava gente brasileira (nascida nesta Capital ou em qualquer outro canto… do mundo)!

Brasília é o céu mais lindo que alguém jamais viu, é verde por toda parte, é resiliência na seca, é festa na chuva! São os ipês, com suas distintas e coloridas floradas! São as cores da natureza, e o sinal da existência de um Criador! São as aves e seus variados sons, na janela aqui de casa, no trabalho ou por onde for!

Brasília é música, é arte por toda parte! É rock, é forró, é brega, é punk! É Orquestra Sinfônica! É Teatro dos Bancários! É artista de rua! É violão e sanfona! São os vários CTGs! É a Casa do Cantador! É música na Igreja, e o Espaço Renato, e o nosso Teatro, que é Nacional, mas que fechou.

Brasília é religião e misticismo. São os vitrais da Dom Bosco e os Anjos da Catedral.  São os cultos em inglês, grego e latim. É a Igreja Batista Central. É a Rosacruz no Planalto. É Maçonaria em toda parte. É Templo da Boa Vontade, Mesquita e Comunhão Espírita. São terreiros e centros, igrejas e templos, com um fim único: render graças ao Grande Arquiteto do Universo e pedir pela humanidade! Tudo isso gantindo uma aura especial, e a diversidade e o sincretismo da cidade!

Brasília é churrasco no domingo, a feijoada na sexta e a pizza no sábado! É o choppinho depois do trabalho. É a carne de sol do Xique-Xique, os naturebas e veganos, e japonês por toda parte. É comida a Kilo (ideia nossa!), é a Galeteria Gaúcha do Lago. Mas é também o arroz do Careca, e (no Sílvio) a pizza de salada . É o macarrão do Ninny, a comida da Tia Zélia, e o self-service do Aspargus.

Brasília são avenidas largas, múltiplas tesourinhas, passagens subterrâneas no Eixão, viadutos que resistem ao descaso, e agulhinhas, total novidade! É a Rodô, com a Viçosa e seu pastel com caldo de cana. É Minhocão na UnB, é Templo da Boa Vontade. É Drive-In, autódromo e kart!

Brasília é virar à esquerda quando se quer ir para a direita, é pegar o baú na W3 e descer o Eixo para a L2! É fazer um balão com tranquilidade e jamais buzinar pela cidade! É morar nas 300, nas 200, estudar nas 700 e ir ao culto ou à missa nas 600. É jantar na Asa Norte, passar no Pontão, ir para balada na Asa Sul e terminar a noite com a pizza da Dom Bosco! É entender o que é um Setor, seja ele Hospitalar, Hoteleiro, Comercial ou de Diversões! É descer para os pilotis, conversar embaixo do bloco, conhecer onde as Quadras são fechadas, ir na farmácia ou na lojinha do amigo na comercial. É saber exatamente o que significa um cobogó. 

Brasília é o Parque, é o Lago, é o Buraco do Tatu! Brasília é o Olhos D’Água da Asa Norte, e a Igrejinha da Asa Sul! É a tradição da Vila Planalto, as mansões das Quadras internas e do Lago, nos Lagos, é a Feira do Guará, o sarapatel, a buchada e o cozidão no Núcleo Bandeirante, onde sei que foi encontrar aquele queijo curado! É o samba do Cruzeiro! É o Periquito e o futebol do Gama, é Praça do Relógio em Taguatinga, é o Setor Bolinha da Ceilândia, é a Festa do Morango de Brazlândia, é o Vale do Amanhecer em Planaltina, são as igrejas, igrejas e mais igrejas e a Quadra Central na minha Sobradinho Serrana ! É a vida além do Plano Piloto, mas também no Plano Piloto!

Brasília, Brasil em latim,  é tudo isso e mais um pouco. Sou eu, e é você, que leu e entendeu. É essa gente maravilhosa de todo Brasil, e é o Brasil todo! Gente desbravadora, que veio para cá, buscou, sofreu, perserverou e venceu!

Brasília é minha casa. Sou Candango, assim como os três milhões que nasceram ou adotaram esse quadradinho com um avião no centro desse Brasilzão. Sim, Candango, do Planalto Central, com muito orgulho e gratidão!

Parabéns, Brasília! Parabéns pelos seus 60 anos!

br-jk-brasilia-idealizador-795x447

Sessentona que eu amo!

Screenshot_20200421-083633_ChromeMinha cidade amada agora é sessentona! Parabéns a Brasília!
Você continua um lugar lindo e maravilhoso para nascer e viver, para trabalhar e criar os filhos, para construir amizades e transformar sonhos em realidade!

Você resiste, minha amada Brasília, como esta cidade fascinante, apesar de todo o mal que lhe fizeram desde 1988! E quanto não lhe fizeram de maldade, de descaso e de escárnio!

Brasília não merece os governantes que teve nas últimas três décadas, pessoas que não eram daqui e não amavam esta terra. Sofremos com invasões, ocupações ilegais (de barracos mais simples a mansões em condomínios que causam enormes impactos ambientais e urbanísticos). Sofremos com a ignorância, a falta de espírito público e a corrupção.

Sofremos com o descaso para com este lugar, que deveria ser sagrado para todos os brasileiros, pois foi fundado para simbolizar um Brasil melhor, mais próspero e desenvolvido, um Brasil unido, forte e soberano!

Como disse o poeta que aqui viveu, “neste país lugar melhor não há”!
Amo Brasília, amo minha terra, amo minha casa!

Parabéns, Brasília! Parabéns,  cidade linda! Parabéns, sessentona  charmosa e viva! Apesar de tudo que lhe fizeram, você continua esse lugar especial no meu coração!

Compartilho aqui um vídeo feito por artistas de Brasília. Ao final, nos créditos, informações para quem queira contribuir ajudando o Lar dos Velhinhos de Sobradinho (conheço a instituição e bom serviço assistencial que fazem ali).

Screenshot_20200421-101928_Instagram

A Capital da Copa (ou a cidade que consagrou a seleção)

Ontem a seleção brasileira jogou em Brasília! E o resultado foi o melhor da Copa até o momento, em um jogaço contra Camarões. No Mané Garrincha, estádio que leva o nome de um dos maiores ídolos do futebol de todos os tempos, contou muito o 12º jogador: a torcida verde-amarela aqui da capital.  Não tinha como não se emocionar com a calorosa acolhida que os brasilienses (de nascimento e de coração) deram aos jogadores e a todos que vieram a nossa amada cidade assistir a Brasil x Camarões. A seleção também sentiu isso, com muita garra fez o 4 X 1, e agradeceu à torcida, cujo grito de guerra logo no início foi: “o campeão voltou!” Sim, e voltou nos braços dos brasilienses! Brasília faz muito bem para a seleção!

Pois é! E os jornalistas do mundo inteiro, e os turistas de toda a parte, puderam conhecer um lado geralmente esquecido da bela capital brasileira: uma cidade bem organizada, de gente ordeira e amistosa, uma cidade que pulsa como coração do Brasil. Sim, porque Brasília não é a cidade dos burocratas ou dos políticos (eles até vivem aqui, mas não são a cara da nossa gente).  Brasília tem muito mais que burocratas de terno e políticos… tem um povo feliz e trabalhador, que gosta de se encontrar no churrasco do domingo, nos bares da cidade, que se acostuma em viver em blocos no meio do verde e do azul, que se emociona com o pôr do Sol mais lindo do planeta… É um povo de diferentes origens e de diferentes sotaques, que se orgulha de morar no lugar com a melhor qualidade de vida do Brasil. Essa é a gente de Brasília!

No jogo de ontem, senti muito orgulho da seleção. Mas senti muito mais orgulho de ter nascido e de viver em Brasília! Senti orgulho de ser brasiliense (ou candango, como prefiro me identificar, sempre rendendo a justa homenagem àqueles que, como meus pais, vieram de diferentes partes do Brasil para ajudar JK a tornar o sonho em realidade). Minha cidade é linda! Minha cidade é acolhedora! Minha cidade é única! Minha cidade é Brasília!

Segue um artigo do NY Times em que se comenta o quão surpreendente é Brasília. Só discordo de algumas opiniões de entrevistados, que falam de nossa cidade como fria e isolada. E, ao contrário do que diz alguém na reportagem, sim, em Brasília você pode encontrar samba (vá ao Cruzeiro ou a Sobradinho), boa cerveja (não temos esquinas, mas temos muitos barzinhos por todo o DF!), e também futebol (seja com nossos clubes do Periquito ou do Brasiliense, seja com a maior concentração de flamenguistas em relação à população, e de botafoguenses, e de vascaínos, e de corintianos, e palmeirenses, e atleticanos, e cruzeirenses, e gremistas, e colorados, e de gente que torce por todos os grandes clubes do Brasil – afinal, todo mundo em Brasília tem ao menos dois times do coração!). Brasília mostrou ontem que tem futebol sim, e que tem alegria, beleza, e simpatia! Brasília tem isso e tem muito mais!

Quem quiser conhecer nossa capital, seja muito bem-vindo! Brasília está sempre de braços abertos!

Brasília, a Capital City That’s a Place Apart

A slackline devotee practicing near the National Congress in Brasília, one of the host cities for the World Cup. An admirer said the city was “like 120 college campuses lined up next to one another.” SERGIO PEÇANHA / THE NEW YORK TIMES

 By DAVID WALDSTEIN

BRASÍLIA — The Brazilian flag reads, “Ordem e Progresso” — “Order and Progress” — which is somewhat curious in this wonderfully jumbled and beautiful country. For an outsider who has visited the samba-infused nightclubs of Rio de Janeiro, the Amazonian jungle or São Paulo, with its ramshackle favelas and snarled traffic, order is not what springs to mind.

Until you arrive in Brasília.

In a country known for its flair for improvisation, Brasília stands in jarring contrast, a city so orderly, it is hard to believe it is really in Brazil.

Continuar lendo

Bandidos de spray e a imagem da nossa cidade

20140501_120438Passeando hoje pela minha cidade me dei conta do quanto Brasília tem sido vítima de um tipo de criminoso da pior espécie, bandidos ordinários, delinquentes que merecem punição exemplar: os pichadores. Não me refiro a grafiteiros, que fazem arte e embelezam a cidade; trato aqui de pichadores. Por onde a gente anda em Brasília encontra um cenário deprimente de muros, paredes, portões pichados com rabiscos feitos por esses vândalos!

Seguia pela W3 Sul e fiquei realmente enfurecido! Para onde olhava, havia pichação. Isso é revoltante! A pessoa tem seu imóvel, seu muro, sua casa, cuida dele. Aí vem um cretino e picha… pelo simples prazer de depredar, de destruir, de estragar o patrimônio alheio. Deve se sentir muito poderoso fazendo aquilo! Fraco, covarde, bandido.

20140501_120548Espaços públicos também não escapam da maldade desses cretinos: você já reparou que não há uma parada de ônibus na W3 que não esteja pichada? E o cenário se repete em outros lugares da capital federal, um cenário de violência…

Não aceito explicação sociológica para a conduta desses delinquentes. Não me venham dizer que são jovens inconsequentes que precisam de orientação, de educação. São bandidos, vândalos que precisam ser duramente reprimidos e punidos. E para esses criminosos a punição mais rigorosa, a tolerância zero, deve ser aplicada!

Sim, pichadores, como os que estão estragando Brasília, são bandidos. Bandidos de spray. Se não forem contidos, logo o spray passa para a arma, para o papelote e a vítima deixa de ser um muro e passa a ser uma pessoa.

20140501_120430Pichadores são bandidos. Quando cometem o crime, não o fazem só contra o patrimônio do cidadão de bem que é alvo do vandalismo. Cometem um crime contra a sociedade como um todo, contra a civilidade e contra a imagem da nossa cidade. É triste ver que estamos em uma Brasília toda pichada, violentada. E é essa Brasília pichada que o mundo vai ver, por exemplo, quando acontecer a Copa do Mundo. É essa Brasília pichada que fica como imagem e recordação para quem vem conhecer a capital do Brasil. Talvez essa triste imagem da nossa cidade revele o quando o Brasil está pichado, descuidado, desamparado. Pense nisso!

20140501_120556

20140501_120013

Parabéns, Brasília!!!

Brasilia_2014aHoje é 21 de abril. Minha cidade faz aniversário. Ela surgiu em 1960, no meio do Planalto Central como um sonho de esperança de um Brasil novo, grande e moderno! Milhares de pessoas vieram para esta terra vermelha e seca para construir um sonho. E hoje, 54 anos depois, ele é realidade!

Hoje é aniversário da minha cidade! A cidade para onde meus pais vieram, como tantos outros nordestinos, e aqui se estabeleceram, se encontraram e constituíram família. É aqui onde eu nasci, onde meus filhos nasceram. Cinquentona linda, simpática e charmosa!

superquadrasSim! Brasília tem coisas que só quem é de Brasília (por nascimento ou opção) conhece: curvas e retas que são um charme só, endereços com siglas (SQN, SQS, SHIS, SIA, SAIS) e números (309, 406, 115, 213), e que apenas para nós são tão comuns; o Eixão, os eixinhos, L2, W3; a ausência de esquinas, a organização em setores (de Diversão Sul, de Diversão Norte, Hoteleiro Sul, Hospitalar Norte, Policial Sul); as Superquadras, os blocos e os pilotis (quem de Brasília nunca marchou encontro “embaixo do bloco”?)…

BRASILIA/50 ANOS/VOOMas Brasília não é só arquitetura e urbanismo! Brasília é natureza, é árvore e verde em toda parte (exceto na seca, porque na seca as cores ficam diferentes, mas as árvores continuam lindas!); é o lago que nos acalenta e nos permite viver no deserto (sim, pois somos filhos do deserto!); e é o céu, o céu mais lindo que alguém já pôde ver, o céu multicolorido que, a toda hora, nos mostra como o Criador foi generoso com nossa cidade!

E Brasília é também única por sua gente! Capital dos brasileiros, aqui se encontram os brasileiros das mais diferentes origens, dos pontos mais distantes do País… diferentes feições, diferentes sotaques! Com isso, Brasília acaba desenvolvendo sua cultura própria, uma mistura das várias culturas que enriquecem o Brasil! Quantas vezes já não ouvimos que foi aqui que uma pessoa do Sul pela primeira vez passou a conviver com alguém do Norte e do Nordeste!?! É ainda a cidade da juventude, a cidade do rock, de Legião, dos Paralamas e do Capital Inicial. É essa gente maravilhosa que faz de Brasília uma cidade única, de muitos rostos e sotaques, com muitas cores e muitos tons, um retrato colorido de todos os brasileiros!

candangos

Por todas essas razões é que amo minha cidade! Impossível não ser completamente apaixonado por Brasília! E assim, neste aniversário, declaro  meu amor incondicional pela capital do Brasil. Brasília, te amo! Feliz Aniversário, Brasília!brasilia2014c

Cinqüentona que precisa de cuidados!!!

Brasilia-2Muito bem! Minha amada Brasília completa hoje 54 anos! Parabéns a esta bela cidade, monumento a céu aberto!

Aqueles que nascemos em Brasília ou que escolheram a cidade para seu lar geralmente lembram de aspectos marcantes desta capital, como suas retas e curvas, a ausência de esquinas, os endereços alfanuméricos, as famosas tesourinhas e os setores para cada coisa! Também são marca de Brasília nosso lago, nossos eixos, avenidas largas me riscam a forma de um avião no Planalto Central e, é claro, nosso céu! O céu de Brasília é lindo, e isso ninguém contesta! Nossa cidade é singular, é linda, é apaixonante! Mais que patrimônio da humanidade, Brasília é patrimônio de todos os brasilienses!

E tem também o povo! Gente de todo o lugar, de todas os sotaques! Gente que chegou a Brasília para construir um sonho, para viver um sonho! Gente que se apaixonou pela capital da esperança e aqui depositou suas esperanças de uma vida melhor! Isso é Brasília: aqui o Brasil se encontra, aqui o Brasil se integra!

Neste aniversário de Brasília, não posso deixar de registrar uma preocupação com nossa cidade e com o Distrito Federal como um todo: a falta de cuidado, e o abandono de muitas áreas de nossa amada terra! Basta caminhar pela cidade, que a gente logo vê muitos problemas de conservação: grama alta, lixo pelas ruas, muros e paredes pichados, descaso que é péssimo para a imagem da capital e que compromete a qualidade de vida dos moradores de Brasília! Isso sem falar de obras e construções, irregulares ou não, que destoam muito daquilo que constituía o plano original de Lúcio Costa!

vista-brasilia1Não vou aqui perder tempo procurando ou apontando culpados pela situação em que se encontra nossa cidade! De fato, neste aniversário de Brasília, o que quero é conclamar todos os brasilienses, todos os candangos, os moradores de nossa cidade, a cuidar melhor da capital do Brasil e a exigir que tratem melhor deste sonho que virou realidade. Se cada um fizer a sua parte, a coisa melhora.

Oxalá possamos ter pessoas cada vez mais comprometidas em cuidar desta cinquentona, que continua charmosa e apaixonante! Claro que muito do passado não será possível mais recuperar, mas se preservarmos o que nos resta, teremos mais cinquenta anos daquela que é, indubitavelmente, a mais singular das capitais! Viva Brasília, capital da esperança!

Segue um post muito interessante do meu amigo Chico Sant’Anna sobre as mudanças, nem sempre positivas, na arquitetura e no perfil urbano de nossa cidade.

ceu-tema-de-estudo-metropolitana-df.jpg

Brasília: obras que desconstroem a memória da cidade

Torre Digital, novo cartão postal de Brasília. Foto de Chico Sant’Anna

Por Chico Sant’Anna

Aos 54 anos, Brasília já começa a viver um processo acelerado de perda de sua memória urbana. A cada dia que passa, novos elementos da paisagem vão desaparecendo. É certo que a cidade não pode ficar congelada, mas como diz o urbanista José Roberto Bassul, também não pode derreter. Pessoalmente, prefiro outra figura de linguagem: se a cidade não pode ficar engessada, tem que se modernizar, este processo não pode deixar fraturas expostas. Recentemente, o aeroporto internacional de Brasília teve uma nova ala inaugurada. Bonita, vistosa, toda de metal e vidro.

Continuar lendo

Seu Oscar

Niemeyer2Posso falar mal de Oscar Niemeyer (sempre fiz isso e não é porque ele morreu – morreu mesmo?!? – que vou deixar de fazê-lo). Afinal, nasci em Brasília, estudei e trabalho em prédios projetados por ele… Essa é uma prerrogativa da qual não abro mão. Somente quem conhece as obras de Niemeyer literalmente por dentro sabe que sua funcionalidade é inversamente proporcional ao charme e à beleza do traçado.

O arquiteto que viveu o século XX como ninguém deixou, indiscutivelmente, sua marca… Na política, dizia-se comunista (queria ser comunista como ele), e, para alguns, como bem lembrou minha amiga Tamara Socolik (outra filha de Brasília), o comunismo viveu em Niemeyer mais tempo do que em qualquer outro lugar da Terra. Lembro que ele nasceu 10 anos antes da Revolução de 1917 e passou pela transição exatamente 20 anos após o colapso da União Soviética! O comunismo e o arquiteto parecem ter competido para ver quem era mais longevo… e o velho Oscar ganhou a parada, em que pese o fato de a ideologia continuar existindo em seu coração…

 croquisJá ouvi que velhos comunistas nunca morrem – talvez pelo medo de terem que renegar seu ateísmo em outro plano… Aí permanecem na trincheira até o esgotamento absoluto de suas forças. Isso aconteceu com muitos neste último século em que, graças à Providência Divina, as idéias de Marx e seus seguidores perderam-se nos becos da História. De toda maneira, Oscar resistiu muito ao colapso de sua ideologia. Fidel Castro mesmo teria dito que Niemeyer e ele próprio eram os dois últimos comunistas vivos… Agora só sobrou encarnado Fidel que, pelos meus cálculos, deve ter ainda mais uns cento e cinquenta anos pela frente…

Se o velho Oscar tinha um péssimo gosto político, felizmente isso era compensado pelo traço único, pela habilidade em, a partir de algumas linhas e curvas, fazer arte e materializar sonhos. Seu traçado era fascinante, uma prova de que pensamentos poderiam se transformar em realidades de beleza inigualável. Inspirado nas famosas “curvas da mulher amada”, ele reproduzia na pedra as curvas do corpo feminino… e era impossível não se apaixonar por aquelas curvas! 

niemeyer_mulherA riqueza da criação de Niemeyer era a prova maior da existência do D’us que ele sempre renegou. Bom, certamente o Criador não deve dar a mínima para o que pensava sua criatura…

Linhas, curvas, arcos… arte! Beleza, leveza, destreza… Isso era o traçado de Niemeyer… E esse traçado vive em Brasília, seu maior legado! Amo Brasília… a cidade que Dom Bosco concebeu, Lúcio Costa idealizou, Niemeyer projetou, e JK, com milhares de candangos obstinados, construiu!

Brasília, com seu céu azul, suas avenidas largas, suas ruas sem esquinas, suas Superquadras… E tudo isso completado pelas obras de Niemeyer! O Congresso, a Catedral, os Palácios… Uma cidade do futuro, com uma beleza que não tem tempo! Não há nada como Brasília!

Congresso_desenho NiemeyerQuando se apresentar perante o Criador (e isso vai ser muito chato para ele, ateu convicto), o velho Oscar poderá dizer que deixou um grande legado… Um legado único, de uma cidade de formas singulares, no coração de um país rico de diversidade, para uma civilização que um dia se estabelecerá. Deixou traços que, de uma maneira ou de outra, tocam qualquer um que os veja… Poderá dizer que teve êxito na tarefa de levar a beleza aos olhos dos homens e de tocar os corações por meio da arte que fez de cada prédio que projetou um grande monumento.

Certamente, nada de funcional há na maior parte da obra de Niemeyer. Estudar, trabalhar, viver em suas obras é sempre desconfortável. Eu mesmo sempre achei que ele não morreria porque tinha a certeza que passaria todo o resto de seus dias enterrado em um mausoléu que ele próprio projetara!

Não, não esperemos funcionalidade da criação do velho Oscar. Já não basta a beleza e a singularidade? E poderia se esperar algo diferente de alguém que acreditava em coisa tão absurda e surreal como a via comunista?

Seu Oscar viveu bem com sua arte. Seu Oscar deixou sua marca que ainda perdurará por muito tempo e por todo o mundo, já que suas obras podem ser encontradas em todos os continentes. Seu Oscar nunca será esquecido enquanto existir a mais bela cidade que um homem pôde conceber.

Há quem goste e quem desgoste do arquiteto que projetou Brasília. Só não há quem nada sinta diante de suas obras. É impossível ser indiferente às curvas, às linhas e aos arcos de Niemeyer. E, só por isso, já poderia Seu Oscar dizer que sua missão foi cumprida e que seu século foi bem vivido.

niemeyer3

%d blogueiros gostam disto: