Dia do Profissional de Inteligência e INASIS

foto-lamparina-04Na data de hoje se comemora o Dia do Profissional de Inteligência. A escolha do 6 de setembro repousa no fato de que, neste dia, em 1946, foi promulgado o Decreto-Lei nº 9.775, que instituiria o Conselho de Segurança Nacional e, em sua estrutura, um órgão de inteligência (ou informações, como se dizia na época), o qual daria origem ao primeiro serviço secreto formalmente estabelecido pelo Estado brasileiro, o Serviço Federal de Informações e Contra-Informações (SFICI).

Apesar de instituído por Eurico Gaspar Dutra, o SFICI só entrou efetivamente em funcionamento a partir de 1956, quando o Presidente Juscelino Kubitschek enviou brasileiros aos EUA para treinamento nos serviços secretos daquele país. Um aspecto interessante do SFICI é o serviço começou a funcionar no auge da democracia brasileira do pós-II Guerra Mundial, em um Governo considerado um dos mais democráticos de nossa história. Importante lembrar disso para assinalar que democracia e inteligência são plenamente compatíveis e nenhuma grande democracia pode prescindir de serviços secretos.

Apesar do pouco reconhecimento nos dias de hoje, o SFICI foi um marco da atividade de inteligência no Brasil, não só em virtude da formação de uma doutrina e de práticas adotadas até hoje, mas porque dali advieram grandes brasileiros que conduziriam o País nas décadas seguintes, como o próprio General Golbery do Couto e Silva e o Presidente João Baptista de Oliveira Figueiredo. Geralmente, a importância desse órgão de vida curta é deixada a segundo plano exatamente porque ele foi sucedido pelo Serviço Nacional de Informações (SNI), que se consolidaria como uma das melhores e mais importantes agências de inteligência do Hemisfério Ocidental.

golbery1Também nesta data solene, gostaria de informar a todos os amigos e profissionais da comunidade de inteligência que foi criada recentemente a Associação Internacional para Estudos de Segurança e Inteligência (INASIS), primeira organização deste nível com sede no Brasil. Apesar de sua criação recente, a INASIS já conta entre seus associados com profissionais de segurança e inteligência de todo o Brasil e dos vários segmentos de Governo e da iniciativa privada. Dispõe, ainda, de com representações em outros países como Argentina, Chile, Canadá, Portugal, Estados Unidos, Reino Unido e Espanha, conduzidas por figuras de destaque na área.

A INASIS congrega pesquisadores e profissionais da inteligência e segurança na mesma associação,  a fim de produzir resultados proveitosos para todos. É um espaço de atuação construtiva, crítica, pragmática e alternativa, integrando associados oriundos tanto de países desenvolvidos quanto de nações emergentes. Logo tratarei mais informações a respeito da INSAIS. Para acessar o site da organização e se filiar, clique aqui.

Passa da hora deste País dar o devido valor ao profissional de inteligência e à atividade por ele exercida. Passa da hora dos dirigentes desta nação entenderem que um tomador de decisão que não recorra à inteligência acabará vítima no inesperado.

A todos os profissionais de inteligência, homens e mulheres que operam no silêncio, meu fraternal abraço!

Cinqüentona que precisa de cuidados!!!

Brasilia-2Muito bem! Minha amada Brasília completa hoje 54 anos! Parabéns a esta bela cidade, monumento a céu aberto!

Aqueles que nascemos em Brasília ou que escolheram a cidade para seu lar geralmente lembram de aspectos marcantes desta capital, como suas retas e curvas, a ausência de esquinas, os endereços alfanuméricos, as famosas tesourinhas e os setores para cada coisa! Também são marca de Brasília nosso lago, nossos eixos, avenidas largas me riscam a forma de um avião no Planalto Central e, é claro, nosso céu! O céu de Brasília é lindo, e isso ninguém contesta! Nossa cidade é singular, é linda, é apaixonante! Mais que patrimônio da humanidade, Brasília é patrimônio de todos os brasilienses!

E tem também o povo! Gente de todo o lugar, de todas os sotaques! Gente que chegou a Brasília para construir um sonho, para viver um sonho! Gente que se apaixonou pela capital da esperança e aqui depositou suas esperanças de uma vida melhor! Isso é Brasília: aqui o Brasil se encontra, aqui o Brasil se integra!

Neste aniversário de Brasília, não posso deixar de registrar uma preocupação com nossa cidade e com o Distrito Federal como um todo: a falta de cuidado, e o abandono de muitas áreas de nossa amada terra! Basta caminhar pela cidade, que a gente logo vê muitos problemas de conservação: grama alta, lixo pelas ruas, muros e paredes pichados, descaso que é péssimo para a imagem da capital e que compromete a qualidade de vida dos moradores de Brasília! Isso sem falar de obras e construções, irregulares ou não, que destoam muito daquilo que constituía o plano original de Lúcio Costa!

vista-brasilia1Não vou aqui perder tempo procurando ou apontando culpados pela situação em que se encontra nossa cidade! De fato, neste aniversário de Brasília, o que quero é conclamar todos os brasilienses, todos os candangos, os moradores de nossa cidade, a cuidar melhor da capital do Brasil e a exigir que tratem melhor deste sonho que virou realidade. Se cada um fizer a sua parte, a coisa melhora.

Oxalá possamos ter pessoas cada vez mais comprometidas em cuidar desta cinquentona, que continua charmosa e apaixonante! Claro que muito do passado não será possível mais recuperar, mas se preservarmos o que nos resta, teremos mais cinquenta anos daquela que é, indubitavelmente, a mais singular das capitais! Viva Brasília, capital da esperança!

Segue um post muito interessante do meu amigo Chico Sant’Anna sobre as mudanças, nem sempre positivas, na arquitetura e no perfil urbano de nossa cidade.

ceu-tema-de-estudo-metropolitana-df.jpg

Brasília: obras que desconstroem a memória da cidade

Torre Digital, novo cartão postal de Brasília. Foto de Chico Sant’Anna

Por Chico Sant’Anna

Aos 54 anos, Brasília já começa a viver um processo acelerado de perda de sua memória urbana. A cada dia que passa, novos elementos da paisagem vão desaparecendo. É certo que a cidade não pode ficar congelada, mas como diz o urbanista José Roberto Bassul, também não pode derreter. Pessoalmente, prefiro outra figura de linguagem: se a cidade não pode ficar engessada, tem que se modernizar, este processo não pode deixar fraturas expostas. Recentemente, o aeroporto internacional de Brasília teve uma nova ala inaugurada. Bonita, vistosa, toda de metal e vidro.

Continuar lendo