A Rússia, o Irã, e a Síria

Recado de Moscou: “não me venham com pressões contra o regime de Assad… ele continua com o apoio do Kremlin”. E, o mais interessante, Medvedev manifestou essa posição em conversa com os iranianos.

A Síria é, há muito tempo, área de influência de Moscou. E não sei se o Kremlin está disposto a perder esse poder para as potências ocidentais ou mesmo para movimentos populares, com risco de os sírios caírem em um regime fundamentalista. Afinal, esse negócio de levante popular não é algo que soe bem aos ouvidos das autoridades russas… Ademais, a Federação da Rússia tem várias regiões de população muçulmana, sempre com risco de ser influenciada/contaminada pelo fundamentalismo religioso. Claro que Medvedev e Putin não querem isso em solo russo.

Ansioso pelos desdobramentos dessa “queda de braço” entre Moscou e o Ocidente. Para quem joga/jogou War, os russos não aceitam a opção dos ocidentais de “conquistar todos os territórios no Oriente Médio”. Será que estamos voltando aos bons tempos da Guerra Fria?

RIA Novosti

Russia, Iran Oppose Foreign Interference in Syria

21:51 22/02/2012

Russian President Dmitry Medvedev and his Iranian counterpart Mahmoud Ahmadinejad spoke out on Wednesday against foreign interference in Syrian internal affairs, the Kremlin said. Continuar lendo

Assad, os russos, os chineses e os iranianos

Dois navios iranianos chegaram sábado ao porto sírio de Tartus para “auxiliar no treinamento de forças navais sírias”. Russos e chineses continuam firmes no apoio a Assad. Os rebeldes seguem combatendo o governo. Atentados são cometidos com o objetivo de desestabilizar o regime (suspeita-se de que teriam sido patrocinados pela Al Qaeda).

Não tenho comentado muito a crise na Síria. Pouco mudou nas últimas semanas. Certamente, a guerra civil evoluiu. Assad continua firme com apoio russo e chinês. A situação ali está longe de um desfecho.

Observação importante: Assad não é Kadafi. A Síria não é a Líbia. Assad conhece bem o ocidente, seu próprio povo e sabe que a Síria tem um papel estratégico para a China e, sobretudo, para a Rússia na geopolítica da região. Também sabe que se cair a coisa pode ficar muito mais complexa para todo mundo na região.

Para piorar as coisas (ou para o bem do regime sírio), as atenções das potências ocidentais estão muito mais voltadas a um outro aliado de Assad, o esquizofrênico governo iraniano, que insiste em seu programa de “armas nucleares para fins pacíficos” e nos ataques ao Ocidente.

De fato, o jogo de poder no Oriente Médio encontra-se em um momento interessante, contando com a disputa direta entre potências ocidentais contra Rússia e China em meio a insurreição na Síria e arroubos belicistas e provocativos de Teerã. 2012 promete. Sem maiores comentários.

Iranian ships reach Syria, Assad allies show support

Reuters, 20FEV2012
By Khaled Yacoub Oweis and Angus MacSwan

AMMAN/BEIRUT (Reuters) – Russia, China and Iran showed support for Syrian President Bashar al-Assad on Monday, days before an international meeting likely to pile more pressure on him to step down in the face of an increasingly bloody uprising. Continuar lendo

Sobre os vetos russo e chinês… e outras coisas mais…

Até entendo que o Premier do Katar se diga “chocado” com os vetos russo e chinês no Conselho de Segurança da ONU no que concerne às medidas mais enérgicas contra a Síria… afinal, trata-se da típica “retórica árabe”, da qual nós ibero-americanos herdamos parte de nossa demagogia e das bravatas nos discursos (não estou criticando a retórica árabe… isso faz parte daquela cultura).

O que me surpreende mesmo são analistas ocidentais se dizendo “assustados” com a decisão de Moscou e Pequim frente ao regime de Damasco! Afinal chineses e, sobretudo, russos, são aliados tradicionais dos sírios e dariam um tiro no pé questionando o regime autoritário de Assad… Ademais, com tudo que já está passando no Egito, mudanças na Síria afetariam drasticamente o equilíbrio de poder na região… Melhor que Assad permaneça no poder… melhor para todos!

Russos e chineses deram seu recado: estão participando do jogo e têm peças para mover no tabuleiro! E não vão permitir a queda de regimes como o sírio e o iraniano por pressão ocidental ou “revolucionária” (ao menos não por agora)…

E por falar em mudanças… como está a situação na Líbia após a queda de Kadafi? E nos outros países que passaram pelo Levante (ou Primavera Árabe, como queiram…)???

Está o Egito mais democrático, rico e estável? Melhoraram as condições de vida da população? De fato, pouco mudou para a maior parte das pessoas que vivem nesses países no último ano… E nada há com que se surpreender ou com que se chocar…

Arabs exploring four options, says Prime Minister 

The Peninsula of Qatar – Wednesday, 08 February 2012 04:08

DOHA:Qatarsays it is shocked byRussiaandChinavetoing the UN Security Council’s draft resolution on the Syrian crisis and calls on the Arab world to proceed beyond issuing statements and take concrete action to stop the bloodshed inSyria. Continuar lendo

Irã, Hezbollah e Síria: juntos somos mais fortes!

Notícia no Haaretz de hoje destaca a declaração do chefe da inteligência militar israelense segundo a qual o Irã e o Hezbollah estariam aumentando o apoio a Assad para evitar sua queda. Vale lembrar que há alguns dias os turcos interceptaram caminhões indo do Irã para a Síria levando armas em apoio ao Governo sírio.

Um comentário importante diz respeito à previsão da inteligência de que Assad deve buscar alguma forma de conflito – provavelmente uma guerra contra Israel para justificar sua permanência no poder. Não acredito muito nisso não, não ainda. Afinal, o tipo de distúrbio doméstico que ocorre na Síria só se agravaria no caso de uma guerra contra Israel.

Outra observação que merece destaque é que de que o israelense não acredita que as situação nas Colinas de Golã não ficará tão tranquila em um futuro próximo.

IDF official: Iran, Hezbollah stepping up efforts to save Assad regime in Syria

By Gili Cohen

Military Intelligence chief says face of Middle East is changing in such a way that it is no longer recognizable.

Iran and Hezbollah are strengthening their efforts to ensure the survival of the Bashar Assad regime in Syria, Military Intelligence Chief Major General Aviv Kochavi said on Wednesday. Continuar lendo