Assad, os russos, os chineses e os iranianos

Dois navios iranianos chegaram sábado ao porto sírio de Tartus para “auxiliar no treinamento de forças navais sírias”. Russos e chineses continuam firmes no apoio a Assad. Os rebeldes seguem combatendo o governo. Atentados são cometidos com o objetivo de desestabilizar o regime (suspeita-se de que teriam sido patrocinados pela Al Qaeda).

Não tenho comentado muito a crise na Síria. Pouco mudou nas últimas semanas. Certamente, a guerra civil evoluiu. Assad continua firme com apoio russo e chinês. A situação ali está longe de um desfecho.

Observação importante: Assad não é Kadafi. A Síria não é a Líbia. Assad conhece bem o ocidente, seu próprio povo e sabe que a Síria tem um papel estratégico para a China e, sobretudo, para a Rússia na geopolítica da região. Também sabe que se cair a coisa pode ficar muito mais complexa para todo mundo na região.

Para piorar as coisas (ou para o bem do regime sírio), as atenções das potências ocidentais estão muito mais voltadas a um outro aliado de Assad, o esquizofrênico governo iraniano, que insiste em seu programa de “armas nucleares para fins pacíficos” e nos ataques ao Ocidente.

De fato, o jogo de poder no Oriente Médio encontra-se em um momento interessante, contando com a disputa direta entre potências ocidentais contra Rússia e China em meio a insurreição na Síria e arroubos belicistas e provocativos de Teerã. 2012 promete. Sem maiores comentários.

Iranian ships reach Syria, Assad allies show support

Reuters, 20FEV2012
By Khaled Yacoub Oweis and Angus MacSwan

AMMAN/BEIRUT (Reuters) – Russia, China and Iran showed support for Syrian President Bashar al-Assad on Monday, days before an international meeting likely to pile more pressure on him to step down in the face of an increasingly bloody uprising. Continuar lendo