Cooperação Sino-Russa e a Paz Mundial

china-russiaGosto do bom humor dos russos, sobretudo da maneira como eles falam ao mundo! A notícia de hoje do Sputnik News que resolvi compartilhar me fez lembrar aquelas clássicas do Pravda ou do Izvestia da época da Guerra Fria: “China: cooperação naval com Rússia contribui para estabilidade mundial”. O mais interessante é que a manchete reproduz a declaração oficial de Pequim sobre a aproximação entre o Urso e o Dragão!

Há razões para se ficar atento a essa aproximação entre chineses e russos? Bom, eu ficaria de olho, sobretudo porque se trata de cooperação na área militar e em um momento que Moscou vê antagonistas em Washington e Bruxelas e que Pequim se incomoda com Tóquio estabelecer a possibilidade de emprego de suas forças armadas fora do território japonês. Chineses e russos se aproximaram há 65 anos e essa relação gerou incômodos para o Ocidente. Foi preciso alguém brilhante como Kissinger para descosturar essa aliança (além da conjuntura da época). Não sei se temos um Kissinger hoje. Não sei se os ocidentais sabem lidar com os russos e com Putin em particular (salvo por Frau Merkel… Frau Merkel sabe… gosto de Frau Merkel!). E a China… bem, a China é sempre muito complexa…

2014111908561510513A OTAN deve colocar as barbas de molho? Sempre. Putin, acuado pelo embargo ocidental, pressionado pela crise econômica (com desvalorização significativa do do rublo), e com situações tensas com países vizinhos, pode tentar manobras que seriam impensáveis para os analistas internacionais do lado de cá, que raciocinam sob a perspectiva de quem vive e se forma no regime democrático. Quanto aos chineses… os chineses estão lá, jogando o seu jogo e com a experiência milenar de lidar com os bárbaros.

O que estou tentando assinalar é a preocupação que se deve ter no Ocidente se ocorrer realmente uma aproximação entre russos e chineses no campo militar. Uma coisa é certa: a paz mundial não será garantida pela aproximação entre russos e chineses, mas pela maneira como esses lidam com sua próprias idiossincrasias e com os interesses dos ocidentais. Tenho receio de toda “aproximação para garantia da paz mundial” nos termos apresentados por russos e chineses. Até porque a paz mundial é tão frágil quanto uma casca de ovo…

Segue a matéria da Sputnik News. 

China: cooperação naval com Rússia contribui para estabilidade mundial

“A cooperação naval entre Rússia e China é uma contribuição para paz e a estabilidade na região e no mundo inteiro”, disse um representante do ministério da Defesa chinês à agência Sputnik.

Continuar lendo

I’ve got the power! Yeah!

Por ocasião dos festejos pelo aniversário do eterno líder, Bob Filho ganhou novos títulos, que se referiam a cargos vagos desde que seu pai, Chico César, havia partido desta para uma melhor! Claro que ninguém esperava que o garoto aplicado fosse receber essas novas designações naquele imprevisível regime! Parabéns, novo líder!

A Coréia do Norte é mesmo surreal! O melhor vai ser o foguetão que eles pretendem lançar – com fins pacíficos, certamente, na mesma linha do programa nuclear iraniano!

O problema é os japoneses resolverem abater o bicho (o foguetão, não o Bob Filho), e acabarem com o show de fogos que Piong Yang está preparando! Mas só abaterão se sentirem que o arquipélago está ameaçado (ou se alguém resolver mostrar umas verdades para os norte-coreanos…)! De toda maneira, acho que Bob Filho terá dificuldades de entrar novamente no Japão para ir à Disney…

BBC News – 12 April 2012 Last updated at 02:07 GMT

State media said the younger Kim had been named chairman of the party’s Central Military Commission and a standing member of the Politburo. Continuar lendo

O legado de Fukushima

Na semana em que se lembra o primeiro aniversário da pior tragédia da história do Japão desde a II Guerra Mundial, recomendo a leitura deste artigo da Spiegel, que trata do futuro da energia nuclear naquele país. O problema de países com uma matriz energética pobre como o Japão é que as alternativas são poucas à energia nuclear. De toda maneira, é surpreendente o fato deles terem desligado 52 de suas 54 usinas.

De forma alguma sou especialista no tema. Entretanto, conversando com pessoas que entendem do assunto, percebo que a maioria vê a energia nuclear coma alternativa limpa e segura. Claro que, no caso do Brasil, temos alternativas, mas chegará uma hora que precisaremos da força do átomo. O que me preocupa é como a gente vai lidar com a parte da segurança de nossas instalações…

Der Spiegel Online – 03/01/2012 10:44 AM
 

Fukushima’s Legacy: What Future Does Nuclear Power Have in Japan?

By Wieland Wagner

Almost a year after the Fukushima disaster, 52 of Japan’s 54 nuclear power plants have been shut down. The reactor explosion destroyed the population’s trust in nuclear energy. But the atomic lobby — and the country’s industrial needs — could block a possible phase-out. Continuar lendo

Japão se preparando para ataques cibernéticos

Estou quase abrindo uma categoria deste site só para defesa cibernética ou algo assim. Afinal, trata-se de questão cada vez mais corrente como tema relevante para segurança nacional e defesa.

Como já tratado em posts anteriores, a guerra do futuro será travada também no ambiente virtual, e a segurança cibernética é prioridade de governos e empresas pelo mundo.

O Japão está se preparando, assim como os EUA, a Alemanha, a França, o Reino Unido e todas as potências do globo. E o Brasil, como lida com a questão?

Japan eyes private firms help on cyber attacks: report

Reuters, 03OCT2011 – 7:09am EDT

TOKYO (Reuters) – Japan plans to work more closely with private companies by sharing information on cyber attacks after defense contractor Mitsubishi Heavy Industries was hacked, Nikkei business daily reported Sunday. Continuar lendo

Japão sob ataque cibernético

Aconteceu lá, pode acontecer aqui… Fica o alerta.

BBC NEWS – 20 September 2011 Last updated at 11:25 GMT

Japan defence firm Mitsubishi Heavy in cyber attack

Mitsubishi Heavy Industries makes everything from surface-to-air missiles, to warships, and submarines

Mitsubishi Heavy Industries makes everything from surface-to-air missiles, to warships, and submarines

Japan’s top weapons maker has confirmed it was the victim of a cyber attack reportedly targeting data on missiles, submarines and nuclear power plants.

Mitsubishi Heavy Industries (MHI) said viruses were found on more than 80 of its servers and computers last month.

The government said it was not aware of any leak of sensitive information.

But the defence ministry has demanded MHI carry out a full investigation. Officials were angered after learning of the breach from local media reports. Continuar lendo

Idosos voluntários em Fukushima

Tinha visto uma reportagem sobre o assunto há alguns dias… Fiquei, realmente, sensibilizado com a coragem, o espírito de coletividade e a dignidade dessas pessoas. Idosos se sacrificando para que os mais jovens não fossem enviados para uma morte certa…

Lembro-me de uma senhora, de seus setenta anos, que declarou que tinha consciência de que seria contaminada fatalmente com radiação… e ofereceu-se para o trabalho porque também sabia que os efeitos só começam a ser sentidos dez anos depois do contágio: “não sei se estarei viva daqui a dez anos, mas sei que é melhor que eu esteja contaminada que os jovens que ainda terão muita vida pela frente” disse ela.

É por isso que o Japão é o Japão. Povo admirável, que merece todo meu respeito pelo senso público e pelo altruísmo.

BBC Brasil, 30/05/2011

Grupo de aposentados do Japão quer enfrentar radiação em Fukushima

Um grupo de mais de duzentos aposentados japoneses se uniu e, voluntariamente, quer enfrentar a crise nuclear gerada pelo desastre na usina de Fukushima, atingida pelo tsunami em março.

A “Unidade dos Veteranos Hábeis”, como eles se chamam, é formada por engenheiros e outros profissionais aposentados, todos acima dos 60 anos. Continuar lendo