Os Poderes da Rainha

queenelizabethA principal publicação do dia em Frumentarius é dedicada àqueles que, sempre que digo que sou monarquista, soltam a pérola: “Para que sustentar um rei? Veja a Rainha da Inglaterra, ela não faz nada! Só é peça de decoração!”. Tenho duas reações quando ouço isso: apiedar-me da ignorância, e tentar explicar um pouco à pessoa (se estiver, claro, de boa fé) sobre a importância de um monarca… Afinal, nas monarquias constitucionais, o soberano tem atribuições fundamentais (e poderes) para garantir a estabilidade democrática, defender as instituições, e zelar pelo bem de seu povo. 

Exatamente por não se envolver com as querelas políticas ou com a forma com que o Governo conduz as políticas públicas, o monarca pode intervir sempre que a estabilidade do regime estiver ameaçada e que pessoas com intenções ruins resolvam tomar as rédeas da nação. Mais adiante escreverei um pouco mais sobre a relevância do monarca.

Outra coisa: ao contrário de um presidente, que nunca será o chefe da totalidade da nação (seja ele eleito diretamente, seja escolhido por um colegiado, sempre haverá os que nele não votaram e que, de fato, são-lhe oposição), o soberano está acima de quaisquer divisões políticas e sua relação com o povo é direta e sincera. Enquanto o presidente divide, o monarca reúne, aglutina os distintos interesses e perspectivas nacionais em sua pessoa.

Ademais, registro que, nas monarquias, o soberano sabe qual é seu papel como Chefe de Estado… e o cumpre. Em muitos regimes presidencialistas, o presidente ignora essas atribuições ou as despreza, com consequências danosas para o país. Lembro de um caso de certa governante que detesta tudo que seja relacionado a atribuições de relações exteriores e protocolares, por exemplo… Aí se fica, muitas vezes, apagando incêndios com nações amigas.

Por último, irrita-me profundamente o comentário, que considero de uma toleima profunda, segundo o qual “não vou sustentar uma família!”, referindo-se à família real. A esses mentecaptos, observo que, nos regimes presidencialistas, sustenta-se mais de uma família, pois todos os ex-presidentes têm pensões e, em alguns países, privilégios vitalícios que vão muito além do que é disponibilizado ao monarca e aos seus parentes de primeiro grau. Mas isso, repito, é assunto para outro momento.

Segue o texto interessante sobre os poderes da Rainha da Grã-Bretanha (entre outras nações). Aqueles que quiserem discutir monarquia comigo, por favor, ao menos leiam a matéria até o final.

queen-elizabeth-glasgow-visit-04-07-12-image-1-654146202

What exactly are The Queen’s powers?

4 October 2014 – 08:38pm

One of the greatest peculiarities of the British constitution is that of the Royal Prerogative. Powers which have established over time as those which The Queen holds as Sovereign, though now largely exercised by ministers, have never been definitively or fully listed… and there’s a reason for that. Because of the nature of the Royal Prerogative established mostly through Common Law – its exact scope and contents is something of an enigma, with no single document containing the powers the Sovereign holds.

medium_4642251150Attempts have been made to list the prerogative powers, though we still don’t know (and are unlikely ever to know) the full range of the prerogative powers The Queen holds.

We can easily list the powers used by Her Majesty regularly (or rather more often on her behalf), though there are many which have either fallen out of use completely (though remain available) and several crucial and significant powers which are able to be deployed in the event of a national emergency. Continuar lendo

Separar para quê?

scotland-flag-1_2103925cÉ sempre bom lembrar a meus alunos de Relações Internacionais que o separatismo não é uma exclusividade da Ucrânia na Europa de hoje… Há muitas regiões do continente que clamam por emancipação. Geralmente, no contexto atual de integração européia, o separatismo pode trazer mais prejuízos que benefícios para as novas nações que queiram surgir no Velho Mundo.

Publico aqui interessante artigo da DW sobre o separatismo escocês e o referendo de 18 de setembro, quando os escoceses decidirão se permanecerão no Reino Unido e se constituirão uma nação independente. Sei não, mas acho que seria um tiro fatal no pé essa separação da Escócia. A União existe há três séculos; a Grã-Bretanha é a sexta economia do planeta e os escoceses, apesar de suas diferenças e do sotaque, estão tão inseridos na sociedade britânica que é inconcebível imaginar o povo das terras altas constituindo outro país… Esqueçam separação… a coisa não vai acabar bem…

Os escoceses até poderiam se separar… só queria ver onde ficará a Pedra de Scone, ou Pedra do Destino, na coroação do sucessor de Elizabeth II (se algum dia Elizabeth II vier a falecer…). Para quem não sabe, é uma pedra sobre a qual os reis escoceses eram coroados e que foi tomada pelos ingleses quando conquistaram as terras altas. Desde então, durante séculos a pedra ficou em Londres, e todos os reis ingleses e britânicos a partir de então são coroados sobre essa pedra, que fica embaixo do trono… Recentemente ela foi transferida para Edimburgo, mas com a ressalva, sempre destacada, que continua a pertencer à Coroa Britânica… tradição é tradição.

Reino Unido acirra campanha contra a independência da Escócia

Deutsche Welle, 27/04/2014

Após mais de 300 anos de união, escoceses opinam sobre separação do Reino Unido em referendo marcado para setembro. Governo em Londres faz campanha para reverter o avanço nacionalista entre o eleitorado escocês.

Schottland Unabhängigkeit von Großbritannien

O governo britânico decidiu intensificar a campanha contra o referendo sobre a independência da Escócia, marcado para o dia 18 de setembro. Nesta semana, o secretário-chefe do Tesouro britânico, Danny Alexander, irá a Edimburgo tentar “desfazer mitos” que cercam as reivindicações feitas pelos defensores da separação.

Continuar lendo

80 key facts about The Queen

Como na última semana celebramos os 60 anos de Elizabeth II à frente do Trono britânico, algumas curiosidade sobre Sua Majestade. Que falta faz uma monarquia constitucional! (Note-se que a publicação é de 2006)

God Save the Queen!

elizabeth II jovem

 

A list of 80 key facts about The Queen to mark her 80th birthday, published on 10 April 2006

1. Queen Elizabeth II is the fortieth monarch since William the Conqueror obtained the crown of England.

2. In 2002, at 76 years of age, The Queen was the oldest monarch to celebrate a Golden Jubilee. The youngest was James I (James VI of Scotland) at 51 years.

3. Since 1952, The Queen has conferred over 387,700 honours and awards.

4. The Queen has personally held over 540 Investitures.

5. The Queen speaks fluent French and often uses the language for Audiences and State Visits. Her Majesty does not require an interpreter.

6. The Queen has received over 3 million items of correspondence during her reign.

7. Over the course of the reign, around 1.1 million people have attended Garden Parties at Buckingham Palace or the Palace of Holyroodhouse (The Queen ended Presentation Parties in 1958). Continuar lendo

God save the Queen!

elizabeth IIApenas para lembrar, nesta data Sua Majestade celebra os sessenta anos de seu reinado, iniciado com a passagem súbita de seu pai, o Rei George VI. Nessas seis décadas, Elizabeth II  viu seu Império esfacelar-se em um processo de descolonização, viu uma guerra vencida contra um país distante, testemunhou mudanças na ordem interna e no campo internacional… Continuou porém, reinando altaneira e soberana, amada por seus súditos e mostrando ao mundo as vantagens de uma monarquia constitucional. O período passará à história do Reino Unido como a segunda era elisabetana. Compartilho o comentário a seguir da página Causa Imperial.

D’us Salve a Rainha!

A RAINHA: SEIS DÉCADAS DE SERVIÇO E DEVOÇÃO

Há exatos sessenta e dois anos, na manhã do dia 6 de fevereiro de 1952, um criado de Sandrigham House, em Norfolk, no Reino Unido, encontrou o Rei George VI, Soberano dos Domínios Britânicos e último Imperador da Índia, morto em sua cama. O Rei tinha apenas cinquenta e seis anos. Os tormentos da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) haviam cobrado seu preço sobre a vida de Sua Majestade. Continuar lendo

Mais sobre o Jubileu

Para terminar o domingo, notícia sobre o Jubileu de Diamante de Sua Majestade, Elizabeth II. O dia foi repleto de imagens das comemorações na Grã-Bretanha, em uma clara demonstração do quanto os britânicos amam sua rainha e da importância da monarquia como instituição naquele país. Tudo bem organizado e nos padrões civilizatórios que são a marca daquele Império. Diverti-me até mesmo com as imagens dos “efusivos” protestos contra as comemorações (afinal, o direito de protestar é sagrado em uma democracia!): meia dúzia de manifestantes com homogêneos pequenos cartazes impecáveis e todos bem comportados… Isso é civilização! God Save the Queen!

Back to Queen's Diamond Jubilee

More than one million rain-soaked people have watched the Queen’s 1,000-boat Diamond Jubilee pageant weave its way along the Thames, organisers say. The Queen’s barge travelled among the flotilla of tugs, steamers, pleasure cruisers, dragon boats and kayaks. The London event was the highlight of the Jubilee weekend, but a fly-past was cancelled because of the weather. Continuar lendo

The Act of Settlement

Neste fim-de-semana do Jubileu de Diamante de Sua Majestade, Elizabeth II, segue artigo interessante sobre importante instituição daquela monarquia! Deus Salve a Rainha!

The Act of Settlement

The Act of Settlement of 1701 was designed to secure the Protestant succession to the throne, and to strengthen the guarantees for ensuring a parliamentary system of government. The Act also strengthened the Bill of Rights (1689), which had previously established the order of succession for Mary II’s heirs. Continuar lendo

God Save the Queen! Elizabeth II Regina

Como último post da noite, minha homenagem a Sua Majestade, Elizabeth II, neste fim-de-semana comemorativo do Jubileu de Diamante da soberana! Que Sua Majestade possa permanecer ainda muitos e muitos anos à frente da Casa de Windsor! God Save the Queen!

The Queen is Head of State in the United Kingdom. As a constitutional monarch, Her Majesty does not ‘rule’ the country, but fulfils important ceremonial and formal roles with respect to Government. She is also Fount of Justice, Head of the Armed Forces and has important relationships with the established Churches of England and Scotland.

http://www.royal.gov.uk/MonarchUK/TheMonarchyToday.aspx