O Dragão e a Águia

Depois do anúncio pelos EUA de suas novas orientações para a Defesa, com a expressa preocupação com o Império do Meio, Pequim resolveu dar um recado de prudência a seu maior parceiro comercial e principal adversário na disputa pela hegemonia global…

Potência é assim… manifesta-se sempre que vê seus interesses ameaçados. E se manifesta da maneira como fizeram os chineses porque pode, porque é potência. Fica a lição de política externa para quem pretenda ocupar um lugar entre as lideranças globais, mas prefere não se pronunciar sobre qualquer coisa…

China warns U.S. to be “careful” in military refocus

Photo
Reuters, 09JAN2012 – 1:17pm EST

By Chris Buckley

BEIJING (Reuters) – China’s Ministry of Defence warned the United States on Monday to be “careful in its words and actions” after announcing a defence rethink that stresses responding to China’s rise by shoring up U.S. alliances and bases across Asia.

The statement from the ministry spokesman Geng Yansheng was Beijing’s fullest reaction so far to the new U.S. strategy unveiled last week. It echoed the mix of wariness and outward restraint that has marked China’s response to the Obama administration’s “pivot” to Asia since late last year. Continuar lendo

Mais sobre a nova perspectiva estadunidense de Defesa

Boa análise sobre a nova perspectiva estratégica dos EUA para a Defesa.

Obama Drops Two MRCs; Invests In ISR, Counter-Terror and Pacific

 By Colin Clark
Published: January 5, 2012

 PENTAGON: The United State swill police the globe, respond to disasters and shape the international environment much as it has –though our sharpest focus will be on China and the western Pacific — but it will do all that with a significantly smaller land force than it currently has. Continuar lendo

A nova Estratégia de Defesa Nacional dos EUA

Para variar, a imprensa no Brasil dá notícia truncada ou pela metade. Os jornais de ontem (particularmente na imprensa televisiva) só anunciavam um corte de U$ 450 bilhões no orçamento de Defesa dos EUA para os próximos dez anos. Só que pouca atenção foi dada ao contexto dessa decisão: o Presidente Obama foi anunciar ao país, a partir do Pentágono, a nova Estratégia de Defesa Nacional dos EUA, ou, mais precisamente, as orientações estratégicas do país para os próximos anos.

O documento é produzido no contexto de uma perspectiva de Defesa dos EUA com o a retirada das tropas do Iraque a manutenção da guerra no Afeganistão. Segundo o próprio Obama, concluídas as operações em território iraquiano, os EUA devem buscar ampliar o foco para outros desafios e em busca de maiores oportunidades. Nesse sentido, atenção especial será dada para a Ásia-Pacífico (aí incluído o Oriente Médio). Os estadunidenses buscam, ainda, mais agilidade, flexibilidade e adaptabilidade.

Aconselho a leitura mais atenta do item Ambiente Global Desafiador e daquele sobre as missões primárias das FA estadunidenses… Certamente, as ameaças são diferentes das tradicionais. Daí a ênfase na defesa cibernética (preocupação permanente), no contraterrorismo e no uso de VNTS (veículos não-tripulados).

Ao ler sobre a Defesa Nacional dos EUA, fico imaginando como os dirigentes da segunda maior potência das Américas estão pensando na nossa… Posso me sentir seguro?

Para o inteiro teor das orientações de Defesa dos EUA, clique Defense_Strategic_Guidance (1).

New Pentagon strategy stresses Asia, cyber, drones

REUTERS, Thu, Jan 5 2012

By David Alexander and Phil Stewart

WASHINGTON (Reuters) – President Barack Obama unveiled a defense strategy on Thursday that would expand the U.S. military presence in Asia but shrink the overall size of the force as the Pentagon seeks to slash spending by nearly half a trillion dollars after a decade of war. Continuar lendo