Crise na Inteligência

Notícia de hoje no Estadão. Ainda vai dar muito o que falar…

Abin reage a controle militar em carta a Dilma e rejeita ser ‘Tropa do Elito’

Funcionários da Agência Brasileira de Inteligência pedem encontro reservado no Planalto para protestar contra ações do general José Elito, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, e afirmam que são civis e devem estar ligados à Presidência

07 de fevereiro de 2011 | 23h 00
Tânia Monteiro, de O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Sem saber exatamente o que a presidente Dilma Rousseff pretende fazer com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a chamada “comunidade de inteligência” entrou em choque com o general José Elito, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Desde a criação, em 1999, a Abin é subordinada ao GSI. O estopim da rebelião foi a exigência do general de que todos os relatórios do serviço de inteligência sejam submetidos previamente à sua análise.

A decisão do general de avaliar a possibilidade de acabar com o Departamento de Contraterrorismo (DCT), criado em 2008 na gestão Paulo Lacerda, aprofundou ainda mais a crise envolvendo a Segurança Institucional e a Associação dos Oficiais de Inteligência (Aofi).

A associação pediu audiência no Planalto para discutir a crise e foi recebida no dia 27 de janeiro por três funcionários da chefia do Gabinete da Presidência, o que deixou ainda mais irritado o general. Giles Azevedo, chefe de Gabinete da Presidência, não estava presente na reunião.

Carta. Em carta entregue à Presidência, a “comunidade de inteligência” pede que a Abin não tenha nem subordinação militar nem subordinação policial. Em evidente trocadilho com o filme Tropa de Elite, funcionários da Abin dizem que não querem ser da “Tropa de Elito”.

A Aofi pede que a agência seja ligada diretamente à Presidência da República. “Solicitamos à Presidência um comando civil para a Abin uma vez que somos funcionários públicos civis, pertencentes a uma instituição civil”, disse um oficial da associação. Ele pediu que a identidade fosse mantida em sigilo por ser agente que faz serviço de campo.

Continuar lendo

Coréia do Norte

Dizem que eu implico com o Grande Líder Kim Jong Il (a quem prefiro chamar, carinhosamente, de Chico César). Pois bem! Olha que coisa legal que descobri na web: o site oficial da Coréia do Norte (CorÉia, porque, como já disse, não estou nem aí para a reforma ortográfica!)!!!

E o mais bacana é que é ponto.COM: http://www.korea-dpr.com/

E se você for realmente um fã do Grande Líder e das democracias populares, não dá mais tempo para ir  comemorar o aniversário dele em fevereiro, mas ainda é possível viajar para o aniversário do amado governante em abril (!?!): 

Quer viajar? Ainda dá tempo!

(Depois me mande as fotos, por favor!)

Parabéns, Grande Líder!