22. A Cruz e a Rosa (19/11/2011)

Per benedictionem Rosae Crucis, non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam!

 

alt-cruz-rosacruzHá acontecimentos significativamente marcantes ao longo da vida de uma pessoa: o nascimento dos filhos, o primeiro casamento (ou o último), a aquisição da casa própria, a conquista do almejado emprego, a viagem dos sonhos, o lançamento de um livro, a conclusão de um curso superior, a obtenção de um título acadêmico… Cito aqui apenas alguns que marcam positivamente e deixam boas e eternas lembranças na mente e no coração.

Entre os episódios marcantes destes primeiros 40 anos, há um que está, indubitavelmente, entre os mais significativos: foi quando, aos 17 anos, tive a felicidade de ingressar na Ordem Rosacruz, AMORC. Desde então, os ensinamentos rosacruzes foram essenciais em minha formação intelectual, profissional, espiritual e, sobretudo, como ser humano. A Ordem é tão importante para mim, e minha afiliação trouxe-me tantos benefícios, que nada do que fizesse hoje seria suficiente para retribuir todas as bênçãos recebidas.

Mas o que é, afinal, a Ordem Rosacruz? A Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis (AMORC), define-se como “uma organização místico-filosófica mundial, não-religiosa, sem fins lucrativos, cultural, educacional e apolítica, destinada ao autoaperfeiçoamento do ser humano, visando o despertar de seus poderes interiores, para uma vida mais plena e integral”. Está aberta a todo buscador sincero, todo aquele que deseje conhecer melhor sobre si mesmo e sobre o Universo. Em seu website (www.amorc.org.br), a AMORC destaca que “a Ordem conserva um conjunto de técnicas milenares, mas sempre atualizadas, comprovadas pelo tempo e capazes de promover este despertar.” Para os céticos, a única coisa que posso dizer, é que os ensinamentos da Ordem têm sido essenciais para mim.

A AMORC está presente em todos os continentes, e existe formalmente há séculos, seguindo uma tradição que remonta a milênios. Ademais, importante assinalar que a “AMORC integra em seu quadro pessoas de todas as raças, idades, posições sociais e de ambos os sexos, em clima de perfeita liberdade de pensamento”, tendo como meta “guiar o ser humano rumo à sua própria liberdade interior, na comunhão consciente com o Universo, por meio do autoconhecimento”. Grandes personalidades de nossa história foram rosacruzes.

AMORCMas o que é a AMORC para mim? Bom, a Ordem é, primeiramente, uma grande escola, onde pude aprender (e continuo aprendendo), sobre as chamadas leis naturais, as relações entre o homem e a natureza, com os outros seres humanos, e com o Criador, em um processo de autoconhecimento fundamentado na tradição das grandes escolas iniciáticas do passado. Os rosacruzes se definem, antes de tudo, como estudantes. E, uma vez que a AMORC não doutrina, mas sim orienta, desde o início de nossos estudos nos é ensinado a sermos “um ponto de interrogação ambulante”, a questionar todo o conhecimento que nos é transmitido, inclusive os ensinamentos da própria Ordem, e a buscar a resposta, primeiro, em nós mesmos, ouvindo a voz de nosso Mestre Interior. E como essa Escola tem-me ensinado sobre a vida!

A Ordem Rosacruz não é uma Igreja, tampouco o rosacrucianismo uma religião. Nesse sentido, na AMORC encontramos pessoas dos diferentes credos e percepções da Divindade: católicos, protestantes, judeus, muçulmanos, espíritas… É fantástico conviver com homens e mulheres de distintas crenças, o que nos permite conhecer melhor sobre as grandes religiões e os aspectos positivos de cada uma. A única coisa que a Ordem nos pede é que acreditemos em um D’us, não importando como O chamemos ou O compreendamos. É por isso que, em nossas orações, os rosacruzes invocam “o D’us de seu coração, o D’us de sua compreensão”. Assim, apesar de não ser uma religião, minha amada Ordem é para mim um lar espiritual.

Outro aspecto marcante da Ordem Rosacruz é que, para mim, ela tornou-se uma segunda família. Ali conheci pessoas, homens e mulheres, de diferentes percepções sobre o mundo e sobre a vida, mas com inúmeros e significativos pontos em comum: a busca do conhecimento, o sentimento de fraternidade, o desejo de crescer espiritualmente e trabalhar pelo bem de toda a humanidade. De fato, é interessante como ali encontramos pessoas que parece que conhecemos há muito tempo, com quem nos identificamos automaticamente, como se já tivéssemos nos relacionado em outros tempos. Vejo nos rosacruzes meus irmãos e irmãs, e na Ordem encontrei grandes amigos, alguns fundamentais no meu desenvolvimento como ser humano e que estiveram presentes em momentos felizes, mas também em situações dolorosas, quando pude encontrar, entre os rosacruzes, o acolhimento que necessitava. São, portanto, minha família, minha grande família.

Nesta vida, meus vínculos com a Ordem Rosacruz, AMORC, são antigos, anteriores ao ingresso formal na organização. Explico: papai é rosacruz desde os anos sessenta. Nasci, portanto, em um lar rosacruz. Cresci sob a influência da Rosa e da Cruz, presente em minha vida já na mais tenra infância. E os laços com o rosacrucianismo são tão fortes e tão profundos, que não consigo me vislumbrar sem a Rosacruz. O rosacrucianismo é parte de mim, fui moldado rosacruz e pretendo continuar rosacruz até o fim dos meus dias (e depois dele).

Faltando 19 dias para meu aniversário, em um dia 19, queria declarar meu amor incondicional à Ordem Rosacruz, e a ela dedicar essas palavras, agradecendo ao Criador pela oportunidade de me levar a conhecer muito cedo o rosacrucianismo. E, repito, foram tantos os benefícios, tanto aprendizado, tantas as bênçãos alcançadas sob os auspícios da Rosa e da Cruz, que nada do que fizesse hoje seria suficiente para retribuí-los à AMORC. Assim, tento retribuir vivendo como rosacruz, pondo em prática os ensinamentos da Ordem e ajudando aos que necessitam.

Hoje, portanto, agradeço ao D’us do meu coração, ao D’us da minha compreensão, pela luz rosacruz em minha vida!

Além da gratidão, o outro motivo do texto de hoje foi para que meus amigos conheçam este aspecto tão influente em minha personalidade nestas primeiras 4 décadas. Saibam que têm como amigo um estudante que ora e trabalha sob os auspícios da Rosa+Cruz, pela glória de D’us e pelo bem da humanidade.

Avental R+C