Russos ao Mar!

russian-navyNeste 26 de julho, data em que os russos comemoram o Dia da Marinha, Vladimir Putin (gosto de Putin; Putin é KGB) aprovou a nova Doutrina Naval de seu país. Segundo o documento, a atuação da Rússia no mar torna-se mais abrangente: além dos quatro oceanos tradicionais por onde navega a frota russa (Atlântico, Ártico, Pacífico, e Índico), o Urso passa a querer nadar na Antártida! (Ou seja, urso polar não come pinguim, mas o urso negro do cáucaso está de olho nas riquezas do continente gelado!).

akula19Sim! Russos navegando nas gélidas águas austrais! (Algo me diz que submarinos russos, que passeiam pelo Ártico, podem desviar a rota para cá também… mas só por curiosidade, para confirmar se aqui é tão frio quanto lá e, claro, se o o gelo é bom para o Whisky ou para a Vodca – é bom sim, confirmo!). Indubitavelmente, a manobra acende a luz amarela para países com interesses estratégicos no Atlântico Sul e no Oceano Glacial Antártico, por exemplo, para os Estados Unidos (por óbvio) e a Grã-Bretanha (como o anterior, membro da OTAN). Assim também deveria ocorrer com outra nação que possui em sua Estratégia Nacional de Defesa um destaque para o Atlântico Sul e a Antártica – ganha um bolo de mandioca comungada com milho quem acertar o nome desse país! 

A agência [(para)oficial] russa Sputniknews publicou matéria hoje sobre a questão, destacando que “a nova versão da Doutrina Naval estabelece a inadmissibilidade dos planos de aproximação da infraestrutura militar da OTAN das fronteiras da Federação Russa como fator determinante das relações com a aliança”, e acrescenta que “a nova doutrina prevê ainda a redução das ameaças à segurança nacional no Ártico e o reforço das posições de liderança da Federação Russa na exploração desta região”. Também se deu atenção ao fortalecimento da infraestrutura para a Frota do Mar Negro (leia-se, Crimeia, deixando claro que ninguém em Moscou cogita devolver a região aos ucranianos) e o desenvolvimento da Frota do Norte.

Resumo da ópera, a Rússia reafirma sua condição de potência naval e dá o recado à OTAN: estamos preparados para usar a força na defesa de nossos interesses (ou ao menos esperamos que vocês pensem assim)!”. Sempre repetirei que uma potência não deixa de ser potência do dia para a noite. Pode até não ser a fera ameaçadora dos tempos soviéticos, mas o velho urso ainda tem dentes e garras!

Para a matéria na Sputniknews:
http://br.sputniknews.com/defesa/20150726/1676059.html#ixzz3h2itlIf3

Russian President Vladimir Putin seen aboard the Arkhangelsk nuclear submarine in the Barents Sea, Russia, Tuesday, Feb. 17, 2004. At left is  presidential standard flag, at right is Russian navy flag. Putin went out to the Barents Sea on board the Arkhangelsk nuclear submarine to observe the maneuvers set to involve numerous missile launches and flights of strategic bombers in what Russian media described as the largest show of military might in more than 20 years.  (AP Photo/ITAR-TASS, Presidential Press Service)

Presos no (de)gelo

article-2531159-1A5767C300000578-22_634x415E já que se falou no frio do Ártico, segue comentário de Rodrigo Constantino sobre a situação dos cientistas na Antártica que ficaram presos no gelo quando iam estudar os efeitos do aquecimento global na região… E tudo isso aconteceu durante o verão antártico! Os pesquisadores passam bem (a não ser talvez por algum dano ao ego).

Não sou conhecedor dessas questões de aquecimento global. A única coisa que sei é que não há consenso a respeito. Já vi estudos, inclusive, que contestam que a temperatura do planeta estaria aumentando fora dos padrões naturais. Sinceramente, não sei… Mas que tem muita gente na Sibéria e no Canadá feliz com as novas fronteiras que poderão surgir para a agricultura com o tal do aquecimento global, ah isso tem!

02/01/2014 – Veja –Ciência e Tecnologia

Cientistas tentam provar aquecimento global e acabam presos na geleira do Antártico

Nada como a ironia do destino, ou como os duros fatos da realidade para derrubar, na prática, as teorias. Um time liderado pelo cientista Chris Turney estava tentando documentar as “mudanças climáticas” no Antártico, na expectativa de mostrar o derretimento das geleiras. Essa era sua previsão documentada em entrevistas.

Seu navio, MV Akademik Schokalskiyacabou preso nas geleiras do polo, com espessura bem maior do que a esperada. Tiveram que pedir resgate às 5 horas da madrugada do dia de Natal, após ficarem presos no gelo. O navio Aurora Australis, para a retaguarda do grupo, tampouco conseguiu atravessar a barreira de gelo.

Eis o resumo da história: cientistas partem para o Antártico em busca de evidências do derretimento de geleiras e acabam sendo forçados a abandonar a expedição… pois ficaram presos em enormes geleiras! Algo incomum nessa época do ano.

Por essas e outras que eu digo: não seria melhor se os ambientalistas deixassem o complexo fenômeno climático um pouco de lado e tentassem cuidar da poluição das praias, algo bem mais concreto, especialmente nas viradas de ano?

Proantar

O Brasil está presente no continente gelado há três décadas. Isso é motivo de orgulho para todos os brasileiros. Minha homenagem àqueles que, de alguma maneira, participam ou participaram do Proantar.

Para acessar o sítio do Proantar, clique aqui. Segue um texto introdutório ao tema.

Proantar – Introdução

A Antártica tem um papel essencial nos sistemas naturais globais. É o principal regulador térmico do Planeta, controla as circulações atmosféricas e oceânicas, influenciando o clima e as condições de vida na Terra. Além disso, é detentora das maiores reservas de gelo (90%) e água doce (70%) do Planeta e de recursos minerais e energéticos incalculáveis.   Continuar lendo

Incêndio na Base Antártica

Gostaria de registrar meu enorme pesar pelo desastre acontecido neste fim-de-semana na Base Comandante Ferraz. Fiquei realmente consternado com o episódio. Além das irreparáveis perdas humanas, a destruição da base comprometeu seriamente as pesquisas ali desenvolvidas.

Oxalá as autoridades brasileiras invistam verdadeiramente na reconstrução daquele importante centro de pesquisas, um patrimônio incalculável da sociedade brasileira, motivo de orgulho para todos nós.

Minha solidariedade às famílias dos sois marinheiros que deram a vida no cumprimento do dever.

 Folha.com – 26/02/2012 – 14h47

 70% da base na Antártida foi destruída, informa Marinha

SIMONE IGLESIAS
DE BRASÍLIA

O incêndio na casa de máquinas da Estação Antártica Comandante Ferraz levou à destruição de 70% da base, informou neste domingo (26) a Marinha. Além disso, foi divulgado que os corpos dos militares mortos no acidente foram encontrados. O acidente, que ocorreu na madrugada de sábado. Continuar lendo

Descoberta do grande lago da Antártida e pesquisas sobre vida extraterrestre

Voltando a postar (problemas operacionais me impediram de fazê-lo nos últimos dias), publico matéria extraordinário sobre o lago na Antártica cuja descoberta anunciaram há pouco. São reservas significativas de água doce e pura.

Certamente, o continente gelado ainda tem muito a revelar!

Descoberta de lago na Antártida pode ajudar a encontrar vida extraterrestre

Moscou, 15 fev (EFE) – A descoberta do lago Vostok, localizado na Antártida e que fica a quatro mil metros sob o gelo, é o primeiro passo para encontrar vida em outros planetas, como Marte, onde as condições são parecidas com as do continente gelado, disse à Agência Efe o chefe da expedição antártica russa.

“Na estação russa de Vostok, a temperatura chega a 89,2 graus negativos, e em Marte é de 90 graus abaixo de zero”, afirmou Valery Lukin, subdiretor do Instituto de Pesquisas Árticas e Antárticas (IIAA). Continuar lendo