E o Leão continua mordendo…

LEAONada justifica a pesadíssima carga tributária no Brasil. Não costumo comentar assuntos internos, meus 8 leitores bem sabem disso. Porém, quando lembro que trabalho cerca de seis meses por ano (ou mais) apenas para pagar impostos, os quais, por sua vez, vão ser pessimamente empregados pelo Governo, quando não desviados para corrupção ou simplesmente perdidos em gastos desnecessários (como campanhas publicitárias ou propaganda eleitoral de partileco), aí me revolto. E o pior é saber que arrecadação aumentará no próximo ano porque certas pessoas precisarão financiar certas campanhas. A palavra de hoje é: indignação. Acorda, Brasil!

Nova tabela do IR aumenta cobrança de impostos sobre salários

Faixas de cobrança serão novamente corrigidas abaixo da inflação, fazendo com que o Fisco chegue ao bolso de cada vez mais brasileiros

25 de dezembro de 2013 | 12h 41
Bianca Pinto Lima e Mário Braga – Estadão e Agência Estado

SÃO PAULO – Pelo 18º ano seguido, a tabela do Imposto de Renda (IR) será corrigida abaixo da inflação em 2014. A defasagem, que deverá fechar esse ano próxima de 66%, faz com que o Fisco chegue ao bolso de cada vez mais brasileiros, consumindo os seus novos rendimentos. Essa discrepância ainda se soma ao aumento do salário mínimo, também superior à correção da tabela. No próximo ano, o mínimo será elevado para R$ 724, uma alta de 6,78% ante os R$ 678 atuais.

A tendência pode ser observada desde 1996, quando houve o congelamento da tabela do IR, que durou até 2001. Nos anos seguinte, todos os reajustes que ocorreram foram inferiores ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Continuar lendo