Diplomacia e Realpolitik

Bom artigo encaminhado pelo amigo Angelo Freire… Recomendo, em especial, a meus alunos e amigos de Relações Internacionais e aos que se preparam para a carreira de diplomata…

A diplomacia está morta

22 de janeiro de 2013, em Análise, Conflitos em andamento, Diplomacia, Geopolítica, Relações Internacionais, por Nicholle Murmel

1483002,h=425,pd=1,w=620
ROGER COHEN – THE NEW YORK TIMES – O Estado de S.Paulo

vinheta-clipping-forte1A diplomacia eficaz – do tipo que produziu o reatamento por Richard Nixon das relações com a China, o fim da Guerra Fria em termos americanos, ou o acordo de paz Dayton, na Bósnia – requer paciência, persistência, empatia, discrição, ousadia e uma disposição de conversar com o inimigo. Estamos numa uma era de impaciência, mutabilidade, tagarelice, indigência mental e uma falta de vontade de falar com os maus sujeitos.

Os direitos humanos estão na moda, uma coisa boa, é claro, mas o espaço para uma condução realista do tipo que produziu a paz bósnia em 1995 diminuiu. A realpolitik de Richard Holbrooke não era para melindrosos. Continuar lendo