Tesouros do Faraó

Para relaxar neste finzinho de domingo, algumas curiosidades sobre o Antigo Egito… Por quê? Porque acho uma civilização fascinante! Às margens do Nilo, dinastias se sucederam por séculos, milênios de fato, com uma riqueza econômica, política, social, cultural e tecnológica ainda pouco conhecida em nossos dias… Acho que meus 9 (nove) leitores irão gostar da matéria. A fonte é o History Channel, que já foi sério… Ao menos a informação sobre o tratado (item 11) está correta, posso assegurar… Quanto às demais, aqueles desejos de confirmação que pesquisem…

History Channel  – 09.02.2014

Conheça os 11 fatos que você provavelmente não sabia sobre o Antigo Egito

Pirâmide do Egito | Notícias | The History Channel
A civilização desenvolvida no Antigo Egito foi, definitivamente, uma das mais avançadas do mundo pré-cristão. Sua cultura foi tão rica e abrangente que seu estudo representa um campo inteiro em todas as ciências. Sua arquitetura, arte e religião há séculos são objeto de fascinação e, até hoje, muito se desconhece sobre essa civilização que construiu um dos monumentos mais grandiosos e misteriosos da humanidade. Será que você está por dentro destes 11 assombrosos fatos sobre o Tesouro do Nilo listados abaixo?

1. Cleópatra não era egípcia

Exceto pelo faraó Tutancâmon, Cleópatra VII é, sem dúvida, a figura histórica mais associada ao Antigo Egito. De fato, ela nasceu em Alexandria e pertencia a uma antiga linhagem de gregos macedônios, descendentes de Ptolomeu I, um dos conselheiros mais próximos de Alexandre, O Grande. A dinastia ptolomaica governou o Egito de 323 a 30 a.C. e seus líderes, a maioria composta por gregos, influenciou imensamente o aspecto artístico e cultural da civilização egípcia. Na verdade, Cleópatra foi famosa por ser um dos primeiros membros da dinastia ptolomaica a dominar o idioma egípcio.

2. Os antigos egípcios adoravam uma jogatina

Depois de um longo dia de trabalho no Nilo, os egípcios costumavam relaxar disputando um dos diversos jogos de mesa como o “Mehen”, “Cachorros e Chacais” ou o mais popular deles, um jogo de azar conhecido como “Senet”. Esse passatempo remonta ao ano 3.500 a.C e era praticado sobre uma grande mesa pintada, com 30 armários. Cada jogador usava um conjunto de peças que avançavam sobre o tabuleiro. O jogo era tão popular que a maioria dos faraós era enterrada com ele.  Continuar lendo