Tags

, , , , , , , , ,

A vovozinha merece respeito! E tem gente que ainda é contra o direito legítimo do cidadão de bem de portar arma para se defender. Claro, que a posse e o uso de armas de fogo têm que ser fiscalizados e aqueles que as utilizarem indevidamente devem ser punidos com severidade. Agora, simplesmente proibir o cidadão deste mecanismo de defesa em um país onde o Estado é falho em garantir a segurança e os criminosos se proliferam em progressão geométrica, é condenar as pessoas de bem a viver à mercê da bandidagem. Quando possui uma arma (e sabe usá-la), o cidadão tem alguma chance de se defender; quando não possui (mesmo que soubesse usá-la), não tem chance alguma.

Idosa de 77 anos reage a assalto em padaria e mata jovem em São Lourenço do Sul

Caso ocorreu por volta das 21h30min no bairro Navegantes

Zero Hora – Atualizada em 31/08/2014 | 22h2431/08/2014 | 09h53
Idosa de 77 anos reage a assalto em padaria e mata jovem em São Lourenço do Sul Jornal O Lourenciano/Divulgação

Caso ocorreu na Rua Argôlo, no bairro Navegantes, em São Lourenço do SulFoto: Jornal O Lourenciano / Divulgação

Uma tentativa de assalto terminou com morte e chocou moradores de São Lourenço do Sul, no sul do Estado, na noite do último sábado. Ao ser ameaçada por um criminoso que pretendia levar o dinheiro do caixa de seu estabelecimento, uma idosa de 77 anos sacou uma arma e o matou.

O caso ocorreu por volta das 21h30min, no bairro Navegantes. O criminoso invadiu a Padaria da Vovó, anunciou o assalto e foi surpreendido pela reação da idosa, que sacou um revólver calibre .38.

De acordo com a delegada de Canguçu, Paula Garcia, que responde interinamente pela delegacia de São Lourenço do Sul, dois tiros foram disparados enquanto o jovem tentava se aproximar do caixa do estabelecimento. Uma bala atingiu o pescoço de Jonathan Silveira Ferreira, 24 anos, e outra raspou no braço. O rapaz, que também estava armado, morreu no local. A informação inicial era de que ele havia ingressado no local com um comparsa, mas a Polícia Civil não confirma.

“Um ano atrás, tentaram afogar a vó no vaso”, conta vizinha de idosa que matou assaltante

Conforme a delegada, Jhonatan não tinha antecedentes, mas, segundo informações preliminares da investigação, ele seria usuário de drogas. Ouvida pela polícia, a idosa informou que o jovem esteve no estabelecimento cerca de meia hora antes da tentativa de assalto, fez compras e perguntou se ela estava sozinha no local.

A idosa entrou em estado de choque e teve de ser encaminhada para o pronto-socorro do hospital Santa Casa de Misericórdia, no município, onde passou a noite. Conforme a polícia, ela tem problemas cardíacos e teve de ser medicada. Ela voltou para casa na manhã deste domingo.

A proprietária da padaria, figura conhecida na pequena cidade, vinha sofrendo seguidas tentativas de assalto, segundo o relato de vizinhos. Em uma das vezes, criminosos já teriam, inclusive, tentado afogá-la em um vaso sanitário. A BM do município também informou que a mulher se queixava de que estavam tentando lhe passar dinheiro falso nas compras.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

Na manhã deste domingo, agentes do Instituto-Geral de Perícias estiveram no local. Conforme a delegada, um inquérito policial será instaurado para averiguar como o caso ocorreu. A polícia também investiga a procedência da arma. O resultado da apuração será encaminhado ao Ministério Público.

De acordo com a Polícia Civil, a arma usada pela idosa não tem registro. O revólver, porém, não foi roubado e também não estava com a numeração raspada. A idosa disse à polícia que encontrou a arma há dois anos, durante uma limpeza no estabelecimento, atrás de um refrigerador. Ela pode responder por posse ilegal de arma de fogo.

Se a polícia apurar que a idosa atuou sob legítima defesa, ela poderá ficar isenta de qualquer penalização — salvo em caso de ter agido em excesso. De acordo com a delegada Paula, os dados estão sendo reunidos e ainda é cedo para qualquer afirmação.

Em 2012, uma idosa de 87 anos matou um homem que invadiu o seu apartamento em Caxias do Sul, na serra gaúcha. Odete Hoffmann Prá morreu em novembro de 2013, ao ter o apartamento atingido por um incêndio durante uma madrugada.

* Zero Hora

Anúncios