Tags

, , ,

Estava em casa vendo TV e coloquei na Globonews, onde passava o Globonews em Pauta… Em meio à conversa entre os jornalistas sobre assuntos corriqueiros, que acabou chegando à “nacionalidade” de alguns doces como o quindim e o doce-de-leite, a conversa alcançou o brigadeiro, esse típico petisco de nossa terra… Foi aqui que o jornalista Arieal Palacios deu uma lição de brasilidade: Palacios, que é argentino criado no Brasil e conhece este País como poucos, disse que gosta muito de brigadeiro. E comentou sua decepção quando, ultimamente, ao chegar a aeroportos como Congonhas, Guarulhos e Salgado Filho, louco de vontade de provar um brigadeiro, só encontra nas lanchonetes desses aeroportos muffins, cookies e outras guloseimas que, apesar de deliciosas (ele mesmo o reconhece) nada têm de doces brasileiros. E o jornalista argentino conclui com o seguinte e lúcido comentário: “é assim que vamos receber os estrangeiros que por aqui chegarem para a Copa e as Olimpíadas?”.

A impressão que tive é que ninguém no estúdio percebeu a profundidade e a perspicácia do comentário de Ariel… Ninguém notou o problema que se configura com a ausência dos simples e discretos brigadeiros nas lanchonetes dos aeroportos! Os jornalistas brasileiros mostraram-se desatentos, assim como a maioria absoluta de nossos “formadores de opinião”, para a perda de alguns bens e valores culturais tão tradicionais, como a música, a língua e, agora, a gastronomia! Estaríamos perdendo nossa brasilidade?

Concordo plenamente com Palacios! Estranheza e absurdo que na porta de nossa casa encontremos uma recepção que pouco tem de brasileira! Não estou falando de escola de samba ou pessoas vestidas de verde-amarelo e fazendo embaixadinhas nos aeroportos para turista ver! Estou falando de se mostrar um pouco do verdadeiro Brasil, de nossas raízes (e a gastronomia certamente tem seu papel de destaque nisso!)!

Não temos que ficar com ufanismos ou discursos nacionalistas exacerbados. Entretanto, a história contata pelo jornalista deveria nos causar vergonha como brasileiros. A ignorância e a necessidade de parecer atual faz com que muitos brasileiros coloquem de lado nossas tradições e importem de tudo… afinal, tudo que vem de fora é bom (ainda que os muffins e cookies realmente o sejam)! Continuamos colônia, é que ficou muito evidente. Continuamos muitas vezes como macacos reproduzindo o que gente de outras terras fazem porque parece chic (galicismo) ou fashion (anglicismo). E ficamos contentes se ganhamos uns espelhinhos em troca de nossas macaquices.

Claro que as lanchonetes devem vender muffins e cookies! Entretanto, têm que deixar um lugar de destaque para o bom e velho brigadeiro, para o bolinho de fubá, o de mandioca e para o bolo-de-rolo! Por que não mostrar aos estrangeiros que aqui chegarão o quanto essas guloseimas são singulares e tão típicas nossas, assim como é o pão-de-queijo, o guaraná e a coxinha de galinha (vi coxinha em Portugal, mas não era esse o nome que davam a ela por lá… daí que a “a coxinha também é nossa!”)!!!

O Brasil é um país riquíssimo de recursos naturais… mas também é muito, muito rico em termos de tradição e cultura, de Norte a Sul e de Leste a Oeste. Conhecer e vivenciar outras culturas é muito bom (ninguém mais que eu para reconhecer isso!)! Entretanto, isso não pode ser pretexto para desvalorizarmos a nossa própria tradição e colocarmos preciosidades tão autenticamente brasileiras como o brigadeiro em segundo plano. Se o fizermos, voltaremos a ser colônia (e o pior é que a maioria estará very happy com isso)…

 

Anúncios