Tags

, ,

Segue uma entrevista com o ex-presidente do Paraguai. Não farei muitos comentários hoje, pois a cama já clama por minha presença. Só registro que conversei ontem com dois amigos que moram no Paraguai, os quais me apresentaram uma visão da crise bem distinta daquela apregoada pela imprensa e defendida pelas autoridades brasileiras…

Entretanto, convém assinalar o comentário lúcido e irônico do meu amigo Chico Sant’Anna. Chico lembrou que uma saída do Paraguai do Mercosul resolveria todos os problemas do bloco: a Venezuela poderia entrar, o acordo de livre comércio com a China (RPC) poderia ser celebrado e acabariam aquelas prefências e regimes especiais para o parceiro mais pobre… Enfim, o Mercosul até que ganharia um fôlego, né? Heheheh…

Oxalá o bispo decida realmente não ir à reunião de sexta na Argentina… Tomara que sua resignação seja verdadeira… Essa é a conduta mais benéfica ao Paraguai. E o ex-presidente mostrará a honradez que falta a alguns de seus colegas sulamericanos. Melhor assim…

ENTREVISTA-Lugo diz que só milagre o leva de volta à Presidência

Reuters Brasil – terça-feira, 26 de junho de 2012 17:23 BRT

Por Daniela Desantis

ASSUNÇÃO, 26 Jun (Reuters) – O presidente deposto do Paraguai, Fernando Lugo, disse nesta terça-feira que somente um milagre pode fazê-lo retornar ao poder, pois as portas jurídicas e políticas foram fechadas. Ele anunciou, no entanto, que fará uma cruzada para explicar ao povo paraguaio os bastidores do julgamento político relâmpago que o tirou da Presidência.

O ex-bispo católico deixou o governo na sexta-feira após o Congresso considerá-lo culpado por mau desempenho em um julgamento político que durou menos de dois dias. Em seu lugar assumiu o então vice-presidente Federico Franco, que deve ficar no poder até o fim do mandato em agosto de 2013.

Os advogados do ex-presidente apresentaram uma ação de inconstitucionalidade em meio ao julgamento político, alegando que Lugo não teve as garantias mínimas para a defesa, mas a Corte Suprema de Justiça do país rejeitou o recurso na segunda-feira.

“No âmbito legal, todas as portas se fecharam ontem quando deram a constitucionalidade do processo e o reconhecimento da justiça eleitoral. Legalmente não existe um caminho para reverter esta situação”, disse Lugo em entrevista à Reuters em Assunção.

O Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE) decidiu que Franco é o presidente constitucional.

“Há uma possibilidade impossível, milagrosa, na qual o mesmo Parlamento possa decidir que se equivocou e que recua… fica o caminho político, mas o consenso no Parlamento me parece impossível”, acrescentou.

O ex-bispo, que há seis anos largou a batina para se dedicar à política, anunciou que fará uma cruzada pelo país na qual reunirá simpatizantes para explicar porque o julgamento político por mau desempenho resultou em um critério para seu impeachment.

AUSENTE DA REUNIÃO DO MERCOSUL

O governo Franco está isolado regionalmente depois que Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Venezuela, Peru e Uruguai ou retiraram ou chamaram seus embaixadores em Assunção para consultas.

O bloco Mercosul, do qual o Paraguai participa ao lado de Argentina, Brasil e Uruguai, suspendeu a participação de representantes do novo governo paraguaio na cúpula que será realizada na sexta-feira na província argentina de Mendoza por considerar ilegítima a destituição de Lugo.

O ex-bispo pretendia comparecer à cúpula na Argentina, mas disse que avaliava permanecer no país.

“Estou quase decidindo que não viajarei na sexta-feira pelos motivos que estou dizendo, que os presidentes da região se sintam em liberdade… não quero pressionar nem os presidentes, nem os países da região a tomarem decisões”, afirmou.

(Reportagem adicional de Didier Cristaldo)

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE85P04L20120626?sp=true

 

Anúncios